Ineficácia vale derrota em Freamunde (2-0)



Perante um dos candidatos à subida, o Vitória B tinha um duro teste esta tarde, ainda para mais quando para lá das dificuldades que poderiam ser criadas pelo adversário, os vitorianos tinham tantas baixas para o desafio. Desde os jogadores convocados para as suas selecções, com especial destaque para Vigário, Alexandre Silva ou Ricardo Gomes, ao lesionado Fábio Vieira, as opções não eram muitas para o encontro de Freamunde.

Ainda assim, a equipa foi-se batendo como pôde, faltando no entanto eficácia que evitasse a derrota na terra dos capões. A equipa da casa, chegou ao golo bem cedo no encontro na transformação de um livre directo e depois teve de ser o Vitória B a assumir o jogo para tentar chegar ao empate. E no primeiro tempo, para além de várias ocasiões que os vitorianos não foram capazes de aproveitar, o Vitória B pode ainda queixar-se de uma grande penalidade não assinalada sobre Areias.

Na etapa segunda, o desafio desceu de qualidade, ainda assim foi quase sempre o Vitória B a assumir as despesas do encontro, mas com alguma falta de arte para se chegar perto da baliza do Freamunde. Foi já na recta final do jogo que os da casa conseguiram o segundo golo, aproveitando um desequilíbrio defensivo do Vitória B, numa altura em que os vitorianos tentavam chegar ao empate.

Apesar da derrota, o Vitória B continua tranquilo na tabela e na próxima jornada, já com mais opções, joga no reduto do Desportivo de Chaves.



Foto: Sítio oficial Vitória SC
Ler mais

E num ápice tudo se desmorona (4-1)



Já foi ontem, mas nem por isso hoje surgiram ideias sobre, o que escrever. Nem tanto pelo jogo, porque parece-me evidente que o resultado foi demasiado pesado para a produção de jogo de uma e outra equipa. Aliás, do ponto de vista ofensivo, a equipa terá feito até o melhor jogo na casa dos "ditos" grandes esta temporada, e os vitorianos começaram até melhor do que o Sporting até o castelo começar a desmoronar com o primeiro golo do Sporting. 

O problema é que vimos um Vitória demasiado macio a defender, com alterações de Rui Vitória que não surtiram efeito e uma incapacidade que não é de hoje, do Vitória apresentar principalmente neste tipo de jogos uma equipa coesa, consistente e que não trema a cada ataque do adversário. Não se pede que se leve um autocarro, mas exige-se que a equipa tenha noção das suas limitações e seja capaz de, em termos estratégicos, adaptar o seu sistema às necessidades dos jogos.

De resto, e mesmo que o resultado seja enganador ou que as duas grandes penalidades assinaladas contra o Vitória sejam, no mínimo, discutíveis, a verdade é que o Vitória somou mais um jogo sem pontuar. E a margem de erro é hoje ainda mais reduzida.

Caberá a Rui Vitória aproveitar esta paragem do campeonato para reunir de novo as tropas e perceber o que está a correr mal. Não pode, uma equipa como o Vitória, correr o risco de, pelo terceiro ano consecutivo deitar a perder o que de bom fez na primeira volta. Da mesma forma que caberá aos jogadores, perceberem que os próximos oito jogos podem valer uma época. Falhados os objectivos, alguém se lembrará da extraordinária primeira volta que fizeram? Quererão eles que os adeptos ficam com uma última imagem negativa sobre o seu valor? Quererão eles que os elogios que todos deixamos na primeira volta sejam agora substituídos por críticas ao seu desempenho? Tenho a certeza que não.

Vocês já nos mostraram do que são capazes. E por isso, agora a "bola" está do vosso lado. São vocês que agora terão de levar o público ao colo, como muitas vezes ele vos levou a vocês. São vocês que têm de provar, em campo, que não merecem que vos virem as costas. São vocês que em campo terão de provar que o que aconteceu na primeira volta não foi obra do acaso. Vocês e a equipa técnica do Vitória, que terá rapidamente de encontrar respostas para as dúvidas levantadas.

Quanto aos adeptos, podem até aproveitar esta semana para descarregar a vossa fúria nos cafés, entre amigos ou nas redes sociais, mas para a semana voltemos a abraçar a equipa para a partida fundamental com o Arouca. Porque o objectivo deles, é também o nosso. É, aliás principalmente, nosso. 
Ler mais

Para esquecer (0-1)



Com uma excelente estratégia de marketing, o clube tentou capitalizar a revolta pela forma como a equipa perdeu no Estádio do Bessa. O público, cerca de 19 mil espectadores, respondeu à chamada e esteve no D. Afonso Henriques. Mas faltou o essencial. Futebol e os três pontos que tanta falta fazem na perseguição do objectivo europeu.

É evidente que aqueles que eram até há algumas semanas alvo de elogios nossos, não desaprenderam de jogar. É também evidente que a equipa que deslumbrou em alguns momentos da primeira volta, não pode ter desaparecido. Mas falta alguma coisa. Falta essencialmente nervo e superação. A segunda parte de ontem foi, aliás, má demais para ser verdade e creio que a própria equipa tem consciência disso mesmo.

O Vitória continua a dar "tiros nos pés" nesta segunda volta e aquilo que parecia uma vantagem perfeitamente tranquila para os mais directos perseguidores, vai-se esfumando. Ninguém duvidará que a equipa quer, tanto como nós, vencer. Mas está na altura de o plantel responder de uma vez por todas aos receios de vermos repetida a segunda volta da última temporada. E só eles o podem fazer. Lutando mais, querendo mais e ganhando! O próximo adversário, chama-se Sporting.
Ler mais

Mais um ponto somado (0-0)



Depois do triunfo a meio de semana diante do Farense, os vitorianos conquistaram mais um ponto nesta jornada, este domingo na visita ao reduto do Portimonense. O nulo alcançado mantém as duas equipas à distância e o Vitória B instalado num tranquilo 11º com 50 pontos. Na próxima quarta-feira, há novo duelo entre vitorianos e algarvios, de novo no Algarve, mas desta feita com a Olhanense.
Ler mais

Bom fim-de-semana para as modalidades



Excelente fim-de-semana para as modalidades do Vitória. Em basquetebol, o Vitória soma e segue e derrotou o Algés (81-75), mantendo a distância para o líder Benfica, que também triunfou diante do Maia Basket e aproveitando a derrota do 3º classificado, o Barcelos.

Em voleibol, importantíssimo o triunfo no reduto do Esmoriz por 3-2 no início da fase de manutenção. A equipa de Allan Cocato começa assim da melhor forma a segunda fase em que vai tentar manter o lugar na primeira divisão.

No pólo aquático, destaque também para o triunfo do Vitória por 5-13 diante do CNAC. 

Tudo isto, num fim-de-semana em que também no Taekwondo esteve em destaque com a medalha de bronze conquistada pelo vitoriano Rui Bragança no Open da Holanda.

O ecletismo do Vitória a marcar pontos em mais um fim-de-semana.
Ler mais

Vitoriano Rui Bragança medalha de bronze



O atleta vitoriano Rui Bragança voltou a conquistar mais um excelente resultado, desta feita no Open da Holanda, em Eindhoven. Este fim-de-semana, Rui Bragança voltou assim a levar o emblema vitoriano até ao pódio em mais uma competição de Taekwondo que reuniu os melhores atleta das modalidade.
Ler mais

Uma vergonha!



Aquando da subida administrativa do Boavista escrevi, neste blogue, que não tinha saudades deles. Era também por isto. Porque quem se habituou a ganhar por fora, dificilmente perderá este hábito. E, com uma "banda de música" como a que este Boavista tem, dar um concerto só é mesmo possível "à Capela". Hoje houve tudo isto.

Um jogo a lembrar outros tantos no passado em que as arbitragens condicionaram e resolveram duelos entre Boavista e Vitória. Capela honrou os seus, aqueles que noutros tempos espalharam vergonha nos campos em Portugal, principalmente no campo daqueles que um dia desceram por corrupção.

Capela é, como se sabe, um tarefeiro dos piores que o futebol português tem. E esta noite foi igual a si próprio. Condicionou o jogo como quis. Virou o jogo quando lhe apeteceu. 

A melhor nota do desafio vai para os adeptos. Para a forma como, no final, transformaram a revolta de cada um de nós, num apoio incessante que espero que tenha dado a força necessária para a equipa responder, como deve, dentro de campo.

Destaque também para Rui Vitória e Júlio Mendes. Uma conferência de imprensa para aplaudir de pé. Não calando a revolta. Não deixando nada por dizer. Como disse Rui Vitória, "este árbitro não presta", e como afirmou Júlio Mendes "Capela foi altamente incompetente e não pode mais arbitrar o Vitória". 

O resto, bem o resto, infelizmente apenas me fez recordar tempos dos quais já não tinha quaisquer saudades. Foi sempre assim que ganharam. Porque seria diferente agora?
Ler mais

Júlio Mendes reeleito



A circunstância de apenas uma lista ter ido a votos tornaria sempre difícil uma grande adesão por parte dos associados. Ainda assim, os números alcançados quando comparados com outros clubes e mesmo com situações idênticas no Vitória são significativos. 

No entanto, mais do que fazer uma leitura dos números, importará desejar que os próximos três anos sejam de sucesso. Será um chavão, é certo, mas será também a mais pura das verdades. O sucesso do actual elenco directivo, será o sucesso do Vitória. No fundo, aquilo pelo qual todos torcemos, sem excepção.

Saibam aproveitar o que de muito bom foi feito durante o percurso árduo dos últimos três anos, saibam corrigir alguns pequenos erros que certamente identificaram, mas acima de tudo, não percam a oportunidade de continuar a reconstruir um Vitória de futuro, e que nos orgulhe. Foram já vários os momentos em que na nossa história não soubemos aproveitar os bons momentos para de, uma vez por todas, "acordar o monstro".

Tenho a confiança de que Júlio Mendes e seus pares estarão à altura das exigências. Com uma equipa coesa, capaz e competente. 

Uma nota final também para os vitorianos. Pela participação nas eleições de hoje. E pela importância que certamente terão nos próximos três anos, continuando a tornar este clube tão especial.
Ler mais

Vitória B regressa aos triunfos (2-0)



Os vitorianos regressaram esta tarde às vitórias derrotando os açorianos do Santa Clara. Após três derrotas consecutivas, foi evidente que durante a primeira parte a equipa teve algumas dificuldades em assentar o jogo, embora tenha pertencido sempre ao Vitória B a iniciativa da partida. Ainda assim, o primeiro tempo foi sempre jogado a um ritmo lento.

Apesar de tudo, o Vitória B chegaria com justiça ao golo na transformação de uma grande penalidade convertida por Denis Duarte. Já na segunda parte, os vitorianos apareceram com uma dinâmica diferente e realizaram mesmo uma boa exibição, com boas jogadas de envolvimento ofensivo.

O segundo golo surgiria aos 69 minutos depois de uma excelente assistência de Alexandre Silva (um dos melhores esta tarde) para Areias finalizaram e fazer o 2-0.

Alcançada a manutenção, o Vitória B terá condições de continuar a preparar a próxima época, e há certamente jogadores na equipa secundária com qualidade para na próxima época se afirmarem como opções da equipa principal. Alexandre Silva, Vigário e Denis Duarte terão sido dos melhores esta tarde, mas outros jogadores há como os casos de Nassim, João Pedro, Fábio Vieira ou Areias que certamente a médio prazo assumirão um papel de relevo na equipa de Rui Vitória.
Ler mais