Goleada e Vitória B já é segundo! (1-5) (vídeo)



Apesar de privado de cinco jogadores (cinco castigos na sequência do jogo com o Tondela), o Vitória B goleou o Trofense em mais uma prova de qualidade e maturidade da jovem equipa orientada por Armando Evangelista. No "onze" vitoriano destaque para a titularidade de Cafú e David Caiado, que ajudaram a reforçar um conjunto dizimado pelos castigos.

Diante do último classificado, mas que na última jornada até tinha vencido o Porto B, o Vitória B foi sempre amplamente superior, tendo chegado ao golo logo aos quatro minutos por intermédio de Crivellaro. O golo conseguido cedo, permitiu também ao Vitória B gerir de outra forma o encontro e com isso fazer um jogo pleno de tranquilidade mas também de qualidade.

Ainda na primeira parte, o golo de Lima Pereira, aproveitando um erro do guardião contrário ajudou a ampliar o resultado, que no entanto acabado "estragado" com um golo estranho mesmo ao cair do pano numa confusão na grande área dos vitorianos.

Na segunda parte, mais do mesmo. O Vitória B sempre por cima da partida e a jogar a seu belo prazer. Crivellaro e David Caiado com dois grandes grandes, colocaram o Vitória B a chegar ao 1-4 e mesmo em cima do minuto 90, Ricardo ainda aproveitou a transformação de uma grande penalidade para fechar as contas no 1-5 final.



Sexta vitória nos sete últimos jogos e segundo lugar na tabela. O Vitória B continua a fazer um excelente campeonato, a exemplo do que acontece com a equipa principal e na próxima jornada recebe o Freamunde. O Vitória é segundo, nas duas ligas profissionais. É obra!

Pode ver o resumo do encontro no vídeo seguinte numa cortesia Trofa TV:

 
Ler mais

O momento do Vitória



A pedido do blogue Rectângulo Mágico escrevi o artigo de opinião que de seguida transcrevo, sobre o actual momento do Vitória SC. 

Ponto prévio. O futebol é fértil em surpresas, capaz de nos desdizer em cada segundo e fazer das nossas análises, realizadas num dado instante, apenas um contributo para que estas nos sejam atiradas à cara quando algo corre menos bem depois. Mas é afinal isto que mais gostamos no futebol. A paixão com que desfrutamos cada segundo e os sonhos que, cada um de nós vestindo a nossa camisola, imaginamos alcançáveis. 

Contudo e porque não acredito que os projectos se encerrem apenas no imediatismo e porque acima de qualquer outra coisa acredito que o que conseguimos é fruto do nosso trabalho, creio que fazer uma avaliação do actual momento do Vitória SC terá uma margem de erro diminuta quando fizermos as contas no final da temporada e independentemente do que for alcançado. 

Há aliás uma frase que me vem sempre à memória quando tento, mais do que com o olhar de adepto, com o olhar de quem gosta de futebol, avaliar o momento do emblema da cidade Berço. Mais do que pelo livro, Gregg Braden escrevia a dada altura no “Código de Deus”: “Somos mais do que alguma vez nos atrevemos a imaginar ser, e talvez capazes de tudo o que sempre sonhamos”. O momento actual do Vitória, e mais do que isso, o novo rumo desenhado nos últimos anos, atira-me sempre para esta citação. 

Depois de erros próprios terem mergulhado a equipa em dificuldades financeiras que quase puseram em risco o clube, o Vitória foi obrigado a reerguer-se e a encontrar nos seus a força para o fazer. Fê-lo com determinação e com a coragem que, mais cedo ou mais tarde, todos terão de adoptar para se adaptarem a uma nova realidade financeira. Fê-lo com a noção de que não havia outro caminho mas com o temor de que, provavelmente, estaria a condicionar o presente para ser capaz de ter um futuro. 

Mas é no fundo, esta parte da equação que tem sido desmentida pelos dirigentes, jogadores e treinadores do clube. Se a conquista da Taça de Portugal em futebol de há dois anos, a conquista do título nacional de Juvenis do ano passado, acoplada com a subida de divisão do Vitória B, já tinha deixado isso bem claro, o campeonato realizado até ao momento das suas equipas profissionais, desmonta por completo esse temor. Afinal, é possível construir o futuro, sem descurar o presente. 

Claro que o fenómeno futebol torna estas análises voláteis à entrada ou não de uma bola, mas como considero que estas terão sempre de ser bem mais profundas do que os resultados no final de cada jogo, só posso considerar que o Vitória SC se mantém no trilho correcto. 

 Esta temporada, apresenta como onze base, um conjunto formado por 7/8 jogadores portugueses, entre jogadores provenientes da sua formação e outros que o ano passado alinhavam na sua equipa B, no Campeonato Nacional de Seniores, onde mesmo fora dos campeonatos profissionais evoluíram ao ponto de estarem hoje a dar cartas na principal competição do campeonato português. Se nomes como André, Josué, João Afonso, Cafú, Bernard, Bruno Alves, Bruno Gaspar, Hernâni, Tomané (apenas para citar alguns) diziam pouco aos adeptos do futebol em geral, hoje acredito que já farão parte das boas surpresas no campeonato. Como o farão jogadores estrangeiros que estão pela primeira vez em Portugal como os casos de Traoré, Bouba ou mesmo Jonatan Alvez, entre outros. 

As provas de maturidade competitiva e qualidade já dadas esta temporada, creio que deixam bem claro que há matéria-prima de sobra no plantel, apesar da sua juventude, e apesar de apresentar uma média de idades a rondar os 22 anos. Há inclusive jogadores que, mais não sei o que terão de fazer para merecer uma chamada à selecção nacional, recompensando assim, não só a sua qualidade, mas também o trabalho realizado pelo clube. 

Se ao 2º lugar na 1ª Liga da equipa principal, juntarmos o facto do Vitória B estar na 2ª Liga (depois de um ano no CNS) a apenas quatro pontos da liderança da prova, só poderemos concluir que esta é, e até ao momento, uma temporada de excelência em Guimarães, com muito mérito para os jogadores, mas também para os seus dirigentes (da formação ao futebol profissional), bem como aos seus treinadores, com especial destaque para Rui Vitória (A) e Armando Evangelista (B). 

Claro que, há a noção clara que este plantel (e ressalvo aqui o “singular”, porque e bem tem sido sempre adoptado internamente que o Vitória dispõe apenas de UM plantel, cujos jogadores alinham ou pela equipa A ou pela B) tem várias limitações. No número, na experiência ou até num ou noutro sector, na qualidade. Contudo, há algo onde já demonstrou que não existe qualquer limitação… na capacidade de superação, na garra e na determinação. E por isso, e aproveitando para terminar como comecei, com uma citação, Fernando Pessoa escreveu uma vez que “Somos do tamanho dos nossos sonhos". E esses… bem esses… são absolutamente incontáveis. 

E agora, mesmo para terminar, este texto é escrito em véspera de dérbis. Três consecutivos para o Vitória, sendo dois deles com o principal rival do Minho. Sei bem que o momento dos clubes neste tipo de jogos conta pouco (da mesma forma que sei, que os jogadores têm a noção da importâncias destes encontros), mas e independente dos meus desejos do ponto de vista desportivo para estes dois jogos, espero que sejam jogos em que o Minho saia a ganhar, e as rivalidades se façam apenas notar, onde realmente importam, dentro das quatro linhas e nas bancadas. 

Termino, agradecendo o convite para escrever neste espaço e desejando que o mesmo se venha a tornar num dos espaços incontornáveis no que diz respeito à discussão do desporto, em particular, do desporto-rei.
Ler mais

Vitória B soma mais um triunfo mas acaba com 8! (2-3) (vídeo)



O Vitória B subiu ao sexto lugar do campeonato depois de mais um triunfo esta tarde em Tondela. Os golos de Barrientos, Areias e Crivellaro ainda na primeira parte, já depois da equipa da casa desperdiçar uma grande penalidade, pareciam resolver a partida em Tondela, mas a verdade é que a parte final do desafio acabou por ser difícil para os vitorianos.

No segundo tempo, o Tondela conseguiu reduzir o marcador para 2-3 e voltar a entrar na discussão da partida. Para além disso, destaque negativo para o facto de três jogadores do Vitória B terem sido expulsos, Vigário, Areias e Barrientos. 

Mesmo terminando com oito elementos, o Vitória B somou mais um importante triunfo no campeonato e sobe ao 6º lugar.

Fique agora com o resumo do encontro e dos lances polémicos da partida, bem como, com as reacções dos treinadores.





Foto: Sítio oficial Vitória SC
Ler mais

Suplemento de alma! (1-2)



Um dia as coisas vão correr menos bem. Mas se isso acontecer, que seja com a noção de que tudo foi feito para as coisas serem diferentes. Há ainda dias em que não é possível - também por mérito do adversário - apresentar o brilhantismo de outros jogos. Mas é nesses dias, em que o coração e a capacidade de sofrimento têm de ser as nossas maiores armas.

Em Arouca, houve um suplemento de alma que transpôs as bancadas e chegou ao relvado. Foi nesse suplemento de alma que os jogadores foram buscar as forças que pareciam perdidas para dar a volta ao resultado e saltar para a liderança do campeonato. Foi no apoio incessante dos "nossos" nas bancadas, no apoio à distância dos que sofreram em Guimarães ou espalhados pelo mundo, que os "meninos de rua" souberam reagir ao golpe do Arouca e conquistaram a vitória, com os golos de Josué (82') e Hernâni (89').

As grandes equipas também se fazem disto. De coração, de alma, de sofrimento. Da noção de que, quando as coisas correm menos bem, é necessário ir bem fundo buscar as forças que nos façam cumprir os nossos objectivos.

Provavelmente este primeiro lugar é circunstancial. Mas o que não é circunstancial, é o orgulho que temos nesta equipa. Neste conjunto de jogadores, que jogo após jogo nos mostra que a união é a nossa maior força.

Ontem, pode ter sido um dos bons momentos deste campeonato. Em que sofremos juntos, e ganhamos juntos. E assim, vale a pena, mesmo que o coração tenha de sofrer. Até porque hoje, não há quem nos tire este sorriso. O sorriso da alegria de ganhar e do orgulho de ver os nossos lutarem em cada segundo pela nossa paixão.

Aproveitemos este sorriso, mas lembremo-nos que no futebol não há memória e tudo muda num instante. Por isso, a cada semana a luta vai ter de ser permanente, mesmo que nos tentem tirar do nosso caminho. Sempre com a humildade e com o espírito de conquista que temos mostrado em cada campo esta temporada.
Ler mais

Golos em relato


Dez minutos loucos, com o Vitória a dar a volta ao marcador e a saltar para a liderança do campeonato. Os golos de Josué e Hernâni que deram um outro brilho à noite desta sexta-feira. Aqui ficam, como habitualmente, os relatos dos golos do Vitória na Rádio Fundação.


Ler mais

Regresso aos triunfos! (3-0)


Depois da derrota ingrata na Vila das Aves, o Vitória B regressou aos triunfos aproveitando de novo o factor casa. Na recepção de um dos candidatos à subida de divisão, os vitorianos somaram mais um triunfo no estádio D. Afonso Henriques perante mais de um milhar de espectadores. 

Apesar de uma primeira parte difícil, o Vitória B acabaria por chegar ao golo por intermédio de Gui, ampliando depois o triunfo já na segunda parte com dois golos de Crivellaro que continua assim a mostrar-se a Rui Vitória.

Pode ver o resumo da partida entre o Vitória B e os flavienses numa cortesia Sinal TV:

 
Ler mais

E tudo o árbitro levou (2-1)



O Vitória já esfregava as mãos e já fazia contas ao quarto triunfo consecutivo mas a verdade é que não contava com a entrada em campo do avançado do Desp. Aves, Luis Godinho. Perdão, do árbitro Luis Godinho. Se é verdade que de Borba, Évora, as castas costumam ser boas, ficamos hoje a saber que de lá não saem bons árbitros.

Numa partida totalmente controlada pelo Vitória B, tudo fazia prever que os vitorianos saíssem vencedores, principalmente depois de Crivellaro ter inaugurado o marcador no início da segunda parte e dando justiça à melhor qualidade dos vitorianos.

Contudo em apenas um minuto tudo se alterou. Aos 89 minutos, Luis Godinho assinalou um pontapé livre directo mesmo ao jeito do veterano Jorge Ribeiro, numa falta inexistente e aos 90 minutos, descortinou uma falta que ninguém viu e que transformou numa grande penalidade a favor dos da casa. O Desportivo das Aves aproveitou os dois lances para operar a reviravolta no marcador, enquanto que o Vitória B viu três pontos fugir-lhe das mãos, para além de ainda ter visto Arrondel e o treinador Armando Evangelista serem expulsos. Para além destes dois lances, há ainda a registar uma grande penalidade a assinalar a favor do Vitória B ainda no primeiro tempo.

Depois de três vitórias consecutivas, os vitorianos perderam na Vila das Aves, mas a verdade é que a equipa não merecia a traição dos últimos minutos e merecia ter somado mais um triunfo no campeonato. Na próxima quarta-feira, o Vitória recebe o Desp. Chaves no Estádio D. Afonso Henriques.
Ler mais

Submarino amarelo ao fundo! (3-0)



Fazer uma crónica sobre esta exibição do Vitória, só mesmo de dicionário aberto. É lá que procuro o melhor adjectivo para a coroar. Não é fácil. Qualquer um deles me parece curto para enaltecer a grandeza da performance da equipa. Pela atitude, pela agressividade, pela capacidade táctica, por tudo aquilo que só as grandes equipas têm.


O Vitória vulgarizou por completo um candidato ao título, encheu o campo e disse presente. Uma vez mais, como se ainda fosse preciso, mostrou àqueles que teimam em esquecer que existe um 3º classificado que esta equipa é feita de jogadores de grande qualidade.

Claro que o Vitória não vai ganhar sempre, claro que não vai ter sempre noites como esta, mas deixem-nos saborear a grandeza de uma exibição em que o Rei aplicou chapa 3 ao Sporting (golos de Bouba, João Afonso e André), mas podia ter terminado o encontro com um resultado ainda mais claro. 

Esta noite, toda a equipa voltou a estar bem acima da média, Assis sem mácula no pouco trabalho que teve, Traoré/Josué/João Afonso/Bruno Gaspar perfeitos numa defensiva com uma média de idades de apenas 23 anos, Bouba o pêndulo de um "miolo" que abafou o Sporting, André o motor de uma equipa que domou por completo o leão e que mais uma vez reclamou uma chamada à selecção nacional, Bernard o fantasista com olhos nos pés, Hernâni o velocista desconcertante que dizimou toda a defensiva do Sporting, Alex o extremo do equilíbrio e Tomané o avançado abnegado que não deu uma única bola por perdida. Uma equipa na verdadeira acessão da palavra.

E por último, Rui Vitória. Tornou-se esta noite no treinador com o melhor arranque de sempre no historial do Vitória, superando Jean Luciano e Mário Wilson. Mais um recorde batido por um treinador que continua a deixar a sua marca na história do clube. O trabalho do treinador, não pode deixar ninguém indiferente e hoje, o "banho táctico" foi evidente! 

Uma última palavra para o ambiente fantástico que se viveu hoje no estádio D. Afonso Henriques. Tremendo! Assim, vale a pena e teremos por certo mais noites felizes, como esta. 

Sexta-feira há mais uma batalha e o triunfo de hoje só será verdadeiramente capitalizado, se em Arouca a equipa confirmar este grande momento.
Ler mais

Golos do Vitória em relato


Três golos, três explosões de alegria no Estádio D. Afonso Henriques. Os golos de Bouba, João Afonso e André deram dimensão a uma exibição fantástica. Aqui ficam, como habitualmente, os relatos dos golos desta noite aos microfones da Rádio Fundação!

Ler mais

Também por isto, sabe bem ganhar!



Há momentos em que o silêncio é o nosso maior aliado. Infelizmente, há quem não o perceba e depois esteja sujeito a que o ridículo lhe caia em cima. Sim, não houve argumentos. O Sporting não os teve. Sim, foi uma surpresa... o Sporting só ter sofrido três golos.
Ler mais

Golo do Vitória em relato



Como habitualmente, aqui fica o relato do golo do Vitória na Rádio Fundação. Um golo do central João Afonso e que valeu três importantes pontos para os "conquistadores".

Ler mais

Braga é o adversário na 4ª eliminatória



O sorteio desta manhã na sede da Federação Portuguesa de Futebol, colocou o Braga no caminho do Vitória na 4ª eliminatória da Taça de Portugal. Depois de ultrapassado o Moura, os vitorianos terão agora de eliminar o Braga, no Estádio D. Afonso Henriques para continuarem a perseguir o sonho de chegarem à final no Estádio do Jamor. O jogo está inicialmente marcado para dia 23 de Novembro.
Ler mais