sexta-feira, julho 24, 2009

O sonho do Afonso Henriques


Guimarães prepara-se para o espectáculo de encerramento das “900 horas dedicadas aos 900 anos do nascimento de Afonso Henriques”, com uma encenação de Rua, onde 30 Figurantes voluntários e outros 30 da Companhia Alemã Titanick, vão proporcionar um espectáculo único e de dimensão Europeia. É já amanhã, sábado pelas 22 H.

Guimarães pretende ser uma cidade cosmopolita, pretende ser uma cidade aberta, com vista ao sucesso e afirmar-se como Capital Europeia da Cultura em 2012”.

“O sonho de Afonso Henriques”, é um espectáculo para todos os públicos e para as famílias, é uma encenação com movimento, luz, cor e som e ainda 20.000 litros de água.

Deixámos-lhe seguidamente o programa da peça, que nos foi enviada pela Câmara Municipal de Guimarães, a quem agradecemos a colaboração.



O Sonho de Afonso / Le Rêve d’Afonso / Il Sogno d’Afonso / Afonsos’ Dream


Encenação

Esta primeira etapa concentra-se num sonho do jovem Afonso. Neste sonho ele imagina a libertação do seu país da predominância de Castela e a criação de uma nova identidade do seu país. O ponto de partida é uma imagem feliz: o jovem Afonso Henriques está ainda associado à sua mãe, Teresa de Leão. Mas em breve ela vira as costas ao seu filho, optando pelo seu amante, Fernando Peres de Trava da Galiza. Nós vemos o percurso de Afonso a partir do momento em que ele começa a libertar-se da dominação da sua mãe. A sua visão de um país independente nasceu.

A Juventude (Largo da Mumadona)

Impaciente, o povo espera o jovem Afonso e sua mãe Teresa. Eles procuram em toda a Praça do Tribunal, até ao momento glorioso em que filho e mãe chegam: Teresa de Leão aparece, uma mulher magnífica e potente (uma estrutura sobredimensionada de quatro metros de altura), toda vestida de branco. Sobre os seus joelhos está sentado o jovem homem. A regente dá o sinal e uma parada festiva e gloriosa começa nas ruas de Guimarães.

Alegria de vida (Rua Alberto Sampaio - não passa nesta Rua) Rua D. Nuno Alvares Pereira

Teresa de Leão e Afonso conduzem esta parada festiva, acompanhados por membros do povo em cavalos brancos. A festa nas ruas de Guimarães é acompanhada pela música de uma fanfarra. Os espectadores participam na festa.

Largo da Câmara Municipal – Pequena cena

Praça S. Tiago – Coreografia acústica

Largo da Oliveira – Bênção (pequena cena)

A ruptura (Largo da República do Brasil)

Mas a atmosfera muda e a dissonância entre filho e mãe estabelece-se. Chegados à Praça da República do Brasil, Afonso e a mãe afastam-se até ao odeio eterno. Afonso ordena o seu povo a tornarem-se soldados. Com vestes azuis, que caem do céu, eles acolhem a sua nova identidade de soldados.

A guerra (Largo da República do Brasil)

Os soldados entram na guerra para lutarem sob as ordens de Afonso contra as tropas de Teresa de Leão. Vestidos de azul, caminham, caem, levantam-se e recomeçam a marchar, simbolizando assim o soldado eterno – até ao trovão final que os deixa morrer. Uma mortalha é lançada sobre os cadáveres, e Afonso aprisiona a sua mãe numa jaula que desaparece no céu.

O sonho (Largo da República do Brasil)

Afonso Henriques remove a mortalha dos mortos e começa a sonhar: árvores cobertas de tecidos iluminados de diferentes cores, enquadram a cena. Os mortos erguem-se do campo de batalha como a Fénix das cinzas. Afonso imagina um país independente e livre, com a sua própria identidade: Portugal. As personagens principais da sua vida – o barão, o seu educador e outras pessoas – preparam uma festa que decorre a uma mesa gigantesca. O povo celebra o nascimento de Portugal com uma coreografia aquática. O rei Afonso, sentado num trono, observa o cenário. A toalha transforma-se numa vela que empola. Levado pelo vento, Afonso voa no céu, no seu trono, acompanhado pelos dois cavalos brancos. O seu sonho continua...

«O sonho de Afonso» no centro da cidade

Ao cair da noite este espectáculo transforma o centro da cidade: instalações, luz e fogo-de-artifício transformam a imagem das praças, dos prédios, das ruas em cenários grandiosos de teatro. A música intensifica as imagens alteradas.


6 Comentários:

Eduardo disse...

Fabuloso!

25/7/09 13:52
Anónimo disse...

Vimaranes podias falar aqui qualquer coisinha do torneio dos white angels hoje ainda ha jogos durante todo o dia

25/7/09 14:27
João Paulo disse...

Assisti ontem a parte dos ensaios, e pelo que me foi dado ver, apenas uma fase: VERDADEIRAMENTE COLOSSAL!

Julgo que a cidade vai mesmo "entupir" na altura da peça.
Imperdível.

25/7/09 15:11
Douglas99 disse...

Simplesmente fantástico. Uma peça digna de ser vista em televisão.
Finalmente começa-se a assitir a bons espectáculos culturais em Guimarães. Parabéns á Camara Municipal pela a organização deste evento, não escquecendo de parabenizar a Dra. Francisca Abreu, responsável pelo Pelouro da Cultura.

26/7/09 11:32
José Domingos (Covas) disse...

Pedia ao blog (pf) se possível, uma descrição da peça, como correu, se foi um sucesso, e se foi presenciada por muitos milhares.
Não tive oportunidade de ver.
Obrigado.

26/7/09 15:23
cc disse...

Vão ter fotos? e A PEÇA? Foi como dizem, absorvente?

27/7/09 11:15