quinta-feira, abril 08, 2010

Opinião de... José M. Pereira

O Ladrão e os Comparsas

É inquestionável para a esmagadora maioria dos adeptos do futebol que na passada sexta feira, no Estádio da Pedreira, aconteceu, no mínimo uma arbitragem infeliz, desastrosa, descontrolada e, acima de tudo, vergonhosa, salvo para alguns “paineleiros”, esses mesmos de sempre que, para além de ser pagos para defender intransigentemente os seus clubes até no indefensável, prestam-se ao triste papel de comediantes.

Os erros foram tantos e tão grosseiros e já foram tão dissecados que até se torna fastidioso a sua enumeração. Perder um jogo qualquer com erros de arbitragem é difícil mas para um vitoriano perder um jogo com o Braga é muito custoso mas, mais ainda, perder um jogo com o Braga deste jeito é revoltante e percorre-nos um sentimento de ultraje, desrespeito e de nos ter sido retirado algo que é um dos nossos pertences.

Não alinho pelo diapasão da encomenda para prejudicar o Vitória e, consequentemente, beneficiar o Braga. Julgo que Soares Dias foi refém do seu erro inicial e depois disso perdeu o controlo todo, tornando-se a sua actuação por um chorrilho de erros que, isso sim, prejudicou uma só equipa. Um árbitro que ostenta as insígnias da FIFA jamais poderá ter uma actuação tão calamitosa, não ter arte nem engenho para controlar a partida e, acima de tudo, não ter auto controle, nem, tão pouco, ter a inteligência de usar uma prorrogativa das leis do jogo, a lei do bom senso. A tudo isto se chama falta de categoria. Mas como a categoria nessa classe, a esmagadora maioria das vezes, é avaliada pela Associação a que se pertence, quem são os “padrinhos”, pela árvore genealógica, etc...

Como não acredito que houvesse uma intenção prévia de prejudicar o Vitória por parte do “Sr. arbitro”, tenho que repudiar a sua falta de coerência. Voltou atrás com a decisão da grande penalidade contra o Braga aos 6 minutos. Foi uma decisão ajustada e que fez prevalecer e bem a verdade desportiva. Contudo não teve a mesma sensatez para emendar a mão com um dos muitos erros que cometeu. Toda a gente viu que o “Sr. Arbitro” advertiu o Andrezinho com o segundo amarelo por pertença falta na grande área sobre o jogador do Braga “Sasi” quando toda a gente sabe que o ligeiríssimo puxão na camisola, que proporcionou o mergulho, foi efectuado, uns metros atrás pelo Flávio. Quando poderia mencionar no relatório que se enganou no jogador que cometeu a falta, optou por construir uma teoria onde tenta salvar a sua face. Toda a gente viu que Andrezinho se mostrava indignado com o árbitro pela amostragem do amarelo e nunca em momento algum se observou o jogador a protestar com o árbitro auxiliar, nem tão pouco a gesticular de uma forma efusiva. Perguntar-se-á então: onde ficou o amarelo para o alegado infractor (Flávio). Ou será que no caso em apreço aplica-se outra lei? Resta saber o que vai conjecturar o Sr.Dias para tentar limpar a sua imagem no caso da amostragem do vermelho ao Rodriguez.

Nada disso é surpreendente, a imagem do árbitro promissor, do árbitro da nova vaga, do árbitro com níveis muito altos de excelência têm que ser mantidos quer pelos organismos que tutelam a classe, quer pelos Srs observadores que lhe ofereceram numa bandeja de prata as insígnias que tão vaidosamente faz questão de ostentar. Esses mesmos senhores já o instruíram para construir a tese onde se vai tentar branquear o mais possível a sua actuação desastrosa com a tentativa de legitimação das suas decisões, bem como com a dificuldade do jogo. Pensam eles que com isso e uma semanita na jarra esta vergonha vai passar ao esquecimento. Cabe aqui aos órgãos dirigentes do Vitória e a nós vitorianos anónimos levantarmos a nossa voz. Caso contrário, tudo isto resultará num prejuízo claro e inequívoco do Vitória para somar ao roubo perpetrado nessa tarde.

As minhas últimas palavras são dirigidas para o adversário que não se dignou a ter uma palavra de desportivismo com uma equipa que foi prejudicada vergonhosamente, tendo, isso sim, legitimado a sua vitória numa exibição superior e em dois únicos erros de arbitragem, sendo um em prejuízo de cada equipa. Depois de se queixarem de um golo legítimo a quinze segundos depois da hora, ter esta postura na hora da vitória é sinónimo de incoerência, falta de fair play e desonestidade. Vale tudo para se atingir os fins, a verdade desportiva e a solidariedade são para ser usados em discursos de circunstância. O que se passou na passada sexta feira foi tão, somente, o expoente máximo do “colinho” da época gloriosa. Mas como o povo diz com toda a propriedade “não há mal que sempre dure nem bem que sempre perdure” e diz, também, sabiamente que “ninguém se ria com o mal do vizinho, que o seu pode vir a caminho”.

Por José M. Pereira

5 Comentários:

José Manuel (Nelo) disse...

Quem não consegue, no mínimo, conceber que o serviço foi encomendado, anda ingenuamente neste mundo.

Há muitas formas de fazer encomendas, e muitos formatos e medidas.

A mais habitual é do tipo: "veja lá o que se arranja aí que dê jeito...". Também não é rara aquela do tipo: "se tiver que ser..."

Se não formos nós os primeiros a ver, como hão-de ver os outros ?

Já não tenho paciência para tanta ingenuidade.

8/4/10 03:38
cb disse...

O que ele fez foi pedir desculpa ao guarda-redes dos marroquinos...dizer o quê? Dizer que esse gajo foi visto na quarta-feira anterior a almoçar/jantar com um dirigente dos marroquinos? É verdade, mas vale o que vale, e para quem vale.
Se foi propositada a sua actuação?
Não tenho a menor duvida, basta falar com alguem ligado ao futebol para logo ver as suspeitas confirmadas.
Podemos ainda, ouvindo as palavras do tacheiro guilherme aguiar, naquele especializado e bem dirigido programa de futebol, tirar mais algumas duvidas de tal roubo premediatado.
Com que proposito fez tal coisa?
Mais tarde se saberá, eventualmente.
Agora, se o porto não for á liga dos campeões a culpa é dos seus dirigentes, por muito que neguem e desviem as atenções, lá isso é.
E que contente vou ficar.

P.S.: Ainda andava meio indeciso, mas apartir de Sexta-Feira, seja que equipa for a jogar contra estrangeiros, serei estrangeiro, e começa já hoje.

P.S.2: Pena que os nossos dirigentes não saibam dar uma resposta á altura, e aí tenho de dar a mão á palmatória em relação ao primeiro Pimenta Machado.

P.S.3: ´Cá se fazem, cá se pagam`.

8/4/10 12:15
Pórcia disse...

Oh não há nada a fazer agora, podem protestar, no entanto de pouco vale, os "grandes" ficam sempre bem, mal de quem se impoe, a nossa sociedade é o espelho disto, ou seja de injustiça!
Gostei do texto coerente e bem escrito do senhor José Pereira, faz-me lembrar um jurista, mas um jurista digno da acepção da palavra!
Justiça seja feita!
Cumprimentos

8/4/10 20:17
Severo disse...

No desporto como em tudo na vida, tem que existir ética e verticalidade. A assunção de erros tanto no prejuizo como no benefício devia estar presente em todas as circunstâncias, e não serem usados subterfúrgios para adoçar as asneiras que tantas vezes prejudicam e com graves consequências.
Todos sabemos que para atingir determinados objectivos-competições europeias- os clubes investem verbas fabulosas que às vezes não têm retorno, e, quando se perspectiva essa possibilidade, aparece um indivíduo que sem qualquer pudor, com uma arbitragem miserável, deita por terra tudo o que um grupo tinha como meta.
O que mais me indigna, é não haver treinadores ou dirigentes que nas suas habituais declarações, não assumam o benefício que têm quando as arbitragens lhes corre de feição.
O sr. Domingos Paciência aquando do jogo- se a memória não me atraiçoa- com o Marítimo, em que beneficiou de um golo que valeu uma vitória, e quando a bola se encontrava fora do rectângulo,
não teve também um pingo de honestidade para referir esse facto.
Enquanto estes episódios se sucederem, o futebol português nunca terá credibilidade. Nem com árbitros profissionalizados lá vamos.
Cps
S. Guimarães

9/4/10 19:12
coelhoguerra_vsc disse...

como vitoriana k sou fikei muito triste com a atitude do sr. arbitro ARTUR SOARES DIAS mas como nos vitorianos nao eskeçemos facilmente kem nos faz tao mal esse sr. ARTUR SOARES DIAS k de sr. tem muito para aprender ele ha-de ca vir a guimaraes arbitrar um jogo e nesse dia nem k seja daki a dois anos nos ca estaremos a sua espera FORÇA VITORIA JUNTOS SOMOS UNICOS eu penso k eles teem e muita dor de cotovelo porke um clube k nunca ganhou nada nao luta pelo titulo e consegue lever sempre uma legiao de adeptos a onde ker k va faz inveja a muita gente.

12/4/10 16:01