sábado, julho 10, 2010

Assembleia-Geral com críticas à autarquia

A aprovação do orçamento para a época 2010/11 era o principal ponto da Assembleia-Geral, pouco concorrida, de ontem. A reunião magna serviu ainda para a aprovação dos novos nomes para o Conselho Vitoriano, o tal órgão cujas competências são várias mas como cuja importância na orgânica vitoriana tem sido nula. Mas o alvo da AG de ontem acabou por ser mesmo a autarquia vimaranense, muito contestada por Milo e seus pares por alegadamente ter inviabilizado a construção das piscinas e do pavilhão. Quem diria? Milo a criticar quem muito contribuiu para lá estar... António Magalhães promete uma reacção na próxima segunda-feira.
Ficou ainda a saber-se os contornos da transferência de Nuno Assis para a Arábia. O presidente vitoriano afirmou que o Vitória era apenas detentor de 50% do passe (a outra metade pertencia ao atleta) e que os vitorianos encaixaram 800 mil euros, ficando com 25% do passe.

Actualização: Algumas leituras interessantes sobre a Assembleia-Geral de sexta-feira [1] e [2].

9 Comentários:

lafuente disse...

Quem diria que a actual direcção se ia incompatibilizar com a Autarquia.!?
Esperemos pelas reacções de António Magalhães agora,para analisarmos melhor o que se passa nestas negociatas.
Quanto ao negócio Nuno Assis ainda foi pior que o que tinha previsto.Ficamos com 25% do passe porque?Não percebo?

10/7/10 16:47
Moha disse...

O vitoria tinha 50% do passe e ficou com 25%? Ou seja vendemos 25% nossos por 800 mil?

10/7/10 18:21
José disse...

é esta m... das percentagens dos passes que eu queria que fossem todas reveladas. tenho certeza que o vitoria tem menos de metade do total dos passes dos jogadores!!! Não é assim que se vai resolver os problemas financeiros do clube. Tou para ver a resposta do Magalhães... até tou mesmo a ver o Milo a revelar-se mais uma vez um nabo e mentiroso

10/7/10 23:39
cb disse...

800 mil euros por 25% do passe, bom negócio.

11/7/10 15:05
Vimaranes disse...

O que me é dado a perceber é que o jogador terá deixado cair a sua percentagem, com o Vitória a encaixar 800 mil euros por 75% do passe. Ficando agora com os restantes 25%.
Mas em termos puramente teóricos, a conclusão acaba por ser 800 mil euros por 25% do passe. Não me parece um negócio estrondoso atendendo a que com a idade do Nuno Assis, dificilmente o Vitória conseguirá fazer dinheiro com os 25% dos quais fica detentor, a não ser para um eventual "resgate" quando ele em Janeiro se cansar das Arábias...

11/7/10 15:26
GMR 1922 disse...

grupos da nascente no topo sul!!!

www.tifosi1922.blogspot.com

11/7/10 16:29
Vimaranes disse...

Eu que por motivos profissionais não pude estar presente na AG, parece que perdi um belo momento de encenação, aqui descrito...

http://d-afonsohenriques.blogspot.com/2010/07/julio-mendes-superstar.html

11/7/10 19:26
José disse...

Posso estar enganado mas...

Se a culpa de os pavilhões não serem construídos é do António Magalhães então é porque o não à construção foi apenas dado para fazer birra contra a direcção do VSC. Neste caso a solução é "simples", apresentar queixa contra a câmara.

Agora se o projecto foi rejeitado com razão então a culpa é de quem fez o projecto.

Quanto à palhaçada da pergunta encomendada.. é mesmo a gozar com os sócios. Fiquei com pena de não ter assistido. Era engraçado que alguém tivesse logo a meio do power point mobilizado o resto dos sócios para abandonar a sala.

Mas pronto. O EMS já sabe que pode gozar com os sócios à vontade e fazer o que quiser porque a maioria dos sócios continua a votar nele.

Parece que temos um novo Pimenta, só espero que não seja por 20 anos

12/7/10 10:51
Dillinger disse...

SÃO MUITOS OS INTERESSES, DESDE QUEM JÁ GANHOU E QUER GANHAR MAIS PELOS PROJECTOS ATÉ AOS QUE QUEREM CONSTRUIR OS PAVILHÕES.

12/7/10 21:50