quarta-feira, junho 29, 2011

Orçamento aumenta quase 4 milhões de euros

Depois de há 10 dias, Emílio Macedo em entrevista ao Jornal OJOGO ter adiantado que o orçamento total do clube para a época 2011/12 seria de 12 milhões de euros, o Vitória publica no seu sítio oficial, um orçamento de quase 15 milhões de euros (14,8 milhões de euros), sendo que 9 milhões se destinam ao futebol profissional (9,1 milhões). Este é mesmo, o maior orçamento de sempre do clube, ao ultrapassar o anterior recorde de quase 13 milhões previstos para a temporada de 2009/10.

Relembre-se que na época passada o orçamento geral apresentado foi de 11 milhões de euros (11.062.230 euros), sendo que cerca de 6 milhões (5.928.600 euros) se destinaram ao futebol. Já na época de 2009/10, o orçamento geral apresentado foi de 12,8 milhões de euros (12.792.600 euros), dos quais quase 7 milhões eram para o futebol profissional. Quer isto dizer que o orçamento para o futebol profissional sofre um aumento significativo de 3 milhões de euros relativamente à época passada e de 2 milhões de euros considerando a de 2009/10, e ainda de 3,7 milhões se falarmos do orçamento global do clube.

Este é, no entanto, também um orçamento muito ambicioso, com o Vitória a prever arrecadar em receitas, 14,9 milhões de euros, o que seria também o melhor resultado de sempre alcançado (3,5 milhões de euros em receitas televisivas, 1,5 milhões de euros em publicidade e 4 milhões em cedências de jogadores, por exemplo). Por último, a direcção vitoriana prevê arrecadar 600 mil euros em lugares anuais, isto no dia em que termina o período de renovação de cadeiras, registando-se nesta altura um total de 5725 lugares anuais vendidos, o que a confirmar-se seria o pior resultado de uma primeira fase dos últimos anos.

Fique agora com um resumo do histórico dos orçamentos dos últimos anos (clique no quadro para ampliar).

9 Comentários:

sadas disse...

É com orçamentos destes , que podemos ambicionar um grande VITORIA

29/6/11 12:53
Vimaranes disse...

Se for sustentável...

29/6/11 14:17
Sescalex disse...

não concordo... temos de ter uma política de contenção, não de expansão. O país a cortar tudo o que não é essencial e nós vamos aumentar os gastos em 30%?... e sabemos que esses 4 milhões de vendas de jogadores são tão irregulares quanto às prestações do Vitória.

Claro que espero um Vitória capaz de lutar com os grandes, mas também quero um vitória que tenha saúde financeira por muitos anos.

29/6/11 16:23
TG disse...

Se se corta ou se mantém o orçamento...é porque temos um presidente com pouca ambição e que estámos a ser ultrapassados...se se faz um orçamento ambicioso... se calhar também não tá certo porque pode não ser sustentável...as critica sem critério que já estámos habituados!

29/6/11 16:26
sadas disse...

mas depois querem grandes jogadores, e criticam porque só vêm desconhecidos .. enfim .. nunca nada esta bem .. Se calhar o dinheiro do bebé já esta a render .

29/6/11 17:58
Paulo César disse...

TG disse... tudo

29/6/11 18:53
Vimaranes disse...

Acho que a sustentabilidade deve preocupar todos. No Vitória e em todo o lado. Do mesmo modo que sou da opinião que é bom que sejamos ambiciosos dentro das nossas possibilidades. Creio que foi um erro estratégico crasso a falta de ambição, por exemplo, aquando da presença do Vitória na pré-eliminatória da Liga dos Campeões, até depois de ter sido conhecido o sorteio quando o Vitória podia e deveria ter sido mais audaz e ter arriscado mais do ponto de vista financeiro, sem se hipotecar, obviamente. A estratégia foi assumidamente outra.

Agora ao que parece a estratégia é ter um orçamento mais ambicioso, o que saúdo. Não deixo é de achar preocupante algumas subidas tão grandes em rubricas que são demasiado... irregulares, mas obviamente que é para isso que a direcção lá está e também é esta direcção que sabe como estão as contas do clube (os sócios só saberão em Outubro). E se considera realmente que este orçamento é sustentável e que nesta altura é possível ao Vitória apresentar um orçamento 4 milhões acima do ano transacto e que o Vitória pode de facto atingir os proveitos previstos, então acho que não há porque não ser ambicioso.

Tenho algumas dúvidas por exemplo no valor previsto para os lugares anuais, já que os 4 milhões em vendas, creio que a direcção já terá algo em mente, mas creio que só a prestação do Vitória, o relatório e contas e principalmente a execução orçamental podem dizer mais. Aliás, até porque dos 3 exercícios últimos conhecidos, apenas um superou o previsto (e o problema não é só desta direcção), tendo-se registado derrapagens em 07/08 e 09/10. Por isso, o orçamento por si não diz tudo.

Acho é que esta aposta e esta subida no orçamento, deixa também mais responsabilidades a Manuel Machado (e ainda bem) que ainda há dias se queixava do curto orçamento do clube.

Estando obviamente muito atrás dos do costume, creio que é também agora, muito superior à maioria dos seus concorrentes.

Deixo apenas mais um comentário relativo à verba destinada às modalidades amadoras e que deve fazer pensar os vitorianos quando defendem o aumento das modalidades do clube (futsal ou andebol). 1,5 milhões é já uma fatia considerável do orçamento vitoriano.

29/6/11 22:12
Sá Rocha disse...

Tambem nao me parece sustentavel.... :( A nao ser que vendas de BEBE e outros sejam recebidas por tranches. Nao sei.

30/6/11 13:28
TG disse...

Ainda bem que reconhece que é bom ser ambicioso e ter aumentado o orçamento num ano em que vamos estar presentes nas competições europeias, em nome da coerencia.

30/6/11 21:20