quinta-feira, setembro 08, 2011

Depois de dias negros


Estive de férias nas últimas semanas e impus uma espécie de “cura de silêncio” para desligar dos problemas do dia-a-dia. Como toda a regra tem excepção, pedi aos mais próximos que me fossem dando conta das novidades que envolvessem o Vitória. Foram 15 dias particularmente dolorosos, que nem o elixir da noite de domingo, na Madeira, ajudam a apagar.

À goleada frente ao Atlético de Madrid e à humilhante derrota frente ao Beira-Mar, juntou-se, quase se seguida, a surpresa pela saída de Manuel Machado. Tenho admiração pelo trabalho do professor, apesar da divergência de fundo quanto à sua abordagem – excessivamente “resultadista” – do futebol. Mas reconheço-lhe vitorianismo, qualidade como técnico e acima de tudo a competência de quem sempre cumpriu os objectivos a que se propôs. Lamento por isso a sua saída, até porque era um garante de alguma sanidade no momento complicado do clube.

Mas o episódio mais negro daqueles que vivi ao longe nas últimas semanas foi a “manifestação” de alguns indivíduos no primeiro treino do novo técnico vitoriano. Despropositada, fora de tempo e ainda por cima culminando em cenas lamentáveis de violência sobre jornalistas e atletas do clube. Como jornalista, não posso deixar de condenar a situação. Nada, nem a mais pura das incompetências que existe nesta profissão – e grassa na especialização desportiva – justifica tal atitude. Como vitoriano, acho que estes indivíduos deviam ser seriamente punidos.

A psicologia ajudará por certo a explicar o comportamento dessa dúzia que invadiu o relvado do complexo desportivo. Cientes de que eles próprios são responsáveis pelo momento do clube – porque contribuíram para a eleição da actual direcção – dispõem-se a encontrar outros culpados. Jornalistas e jogadores são alvos fáceis e estavam ali à mão de semear.

A atitude teve o condão de desviar a atenção do essencial: o problema do Vitória está e estará na sua direcção, enquanto esta continuar a ter a mesma liderança desgastada, enfraquecida e incapaz. Contratar Rui Vitória é apenas um penso numa ferida. Podia vir Guardiola ou Fergunson e os reais problemas do clube seriam apenas maquilhados. Esta é uma máquina a que faltam peças e por isso não pode funcionar.

Esta semana ajuda a reforçar uma convicção que tenho há tempos. Temos, enquanto vitorianos, de entender três coisas. A primeira é que os nossos principais problemas são internos e resolvem-se dentro de portas, não precisamos pois de buscar inimigos externos. A segunda é a de que esta direcção esgotou as ideias e a capacidade de liderar e é necessário começar a preparar o futuro.

A terceira ilação entronca, por isso, com esta. Temos que encontrar entre a família vitoriana um novo presidente, capaz de encontrar uma nova equipa para liderar o Vitória a uma nova fase de afirmação como grande potência do desporto nacional – não apenas do futebol. E está na hora de acabar com o mito que é necessário ter dinheiro para ser líder do clube. Um bom gestor não usa o seu dinheiro na empresa, isso é coisa do passado. Do que precisamos é de alguém com vitorianismo intocável, capacidade de liderança e força suficiente para se impor no lodo do futebol nacional. É isso que nos tem faltado.

4 Comentários:

F@bi0 disse...

Finalmente temos um patrocinio nas camisolas !!! :b

http://gmrtv.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=7686:acordo-empresa-ligada-ao-ramo-da-saude-patrocina-camisolas-do-vitoria&catid=3:flash

8/9/11 21:09
Paulo César disse...

Samuel, até que enfim uma análise tão sucinta quanto lúcida ao trabalho do MMachado. Tendo consciência exactamente do descrito no texto em relação ao nosso ex-mister, acreditei sempre que o Vitória precisava de um treinador com este perfil durante alguns anos. Para solidificar e consolidar o clube. Pode ser que esteja enganado (assim o desejo mais do que outra coisa qualquer) e as coisas evoluam com Rui Vitória e outros que se sigam. Sim, porque corremos o risco de um dos 3 grandes despedirem o treinador e Rui Vitória está na linha da frente. Quem sabe ainda em 2011...
Não pela sua qualidade, mas precisamente por causa dela, temo que Rui Vitória dure pouco em Guimarães.

8/9/11 21:12
Rui disse...

um aparte a este post!

Parece que o tal patrocinador das camisolas foi encontrado...já não era sem tempo...faz precisamente agora 2 meses que EMS disse "...na próxima semana fecharemos os patrocínio das camisolas". passados 2 meses há fumo branco....

http://www.gmrtv.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=7686:acordo-empresa-ligada-ao-ramo-da-saude-patrocina-camisolas-do-vitoria&catid=3:flash

8/9/11 22:23
Maurício Rodrigues disse...

Ainda vai voltar a Bayer às camisolas do Vitória

9/9/11 11:07