sexta-feira, setembro 23, 2011

Edgar


Todos o sabem: nunca escondi – sobretudo nos piores momentos por que o jogador passou – que tenho uma grande admiração por Edgar. Não só enquanto ser humano – parece-me ser um excelente homem, afável, respeitoso, simpático, tranquilo – mas igualmente pela sua condição de profissional. Porque lhe reconheço capacidades inatas enquanto atleta, concretamente enquanto ponta-de-lança; capacidades mais que suficientes para representar um clube da dimensão do Vitória. É uma opinião que mantenho e manterei, para mim, como inquestionável, ainda que perceba, democraticamente, que a possam questionar.

Esta admiração e reconhecimento para com Edgar sustenta-se em razões simples. Em, nomeadamente, ser capaz de olhar para o passado – sobretudo para o mais recente – e ter o discernimento suficiente para perceber que o brasileiro é, desde Saganowski, simplesmente e intocavelmente o melhor ponta-de-lança que o Vitória teve. E mesmo o polaco, idolatrado na sua passagem por Guimarães numa temporada horrível que culminou com a descida de divisão (Saganowski tinha mais dois anos de contrato mas foi dos primeiros a abandonar o 'barco' porque não queria jogar na 2ª Liga...), não foi capaz de suplantar marcas que Edgar já provou poder alcançar com relativa 'facilidade'. Admito que o estilo será profundamente diferente – Edgar não é propriamente um avançado 'elegante', esteticamente apelativo na forma de jogar – mas enquanto adepto de um clube que participa em competições onde o fundamental é ser exactamente isso, competitivo e ganhador, tenho para mim que o brasileiro é um excelente jogador de equipa. Porque trabalha, porque produz e porque, em condições normais, é capaz de fazer, no mínimo, uma dezena, dezena e meia de golos por temporada.

É pouco para um clube como o Vitória? Essa é, porventura, a questão que pode instigar maior controvérsia. Sim, claro que sim, quem não gostaria de contar com alguém que marcasse 20 ou 30 golos por época? Sim, claro que sim, quantos de nós que andam de Ford, Fiat ou Peugeot não ambicionariam andar de Mercedes ou BMW? A grande questão é termos humildade suficiente para perceber e admitir que nem sempre podemos almejar o que ansiamos, ainda que esses anseios sejam os mais legítimos. No actual quadro económico do Vitória - realidade incontornável -, ter alguém com as potencialidades de Edgar já me parece, portanto, mais do que razoável.

Provavelmente, esta é uma fase em que os incómios dirigidos ao jogador brasileiro podem atingir uma maior aceitação e concordância – tudo parece ter mudado para melhor quando se percebeu que, afinal, Edgar fez imensa falta à equipa nos jogos em que esteve 'afastado' e, especialmente, porque tem provado com números e exibições estar num grande momento de forma. Mas o fundamental é mesmo perceber que todo o profissional tem momentos bons e outros menos bons, sendo imperioso que, neste caso concreto, o actual carinho devotado (pela maioria) a Edgar não seja um mero exercício de retórica e de conveniência. Quando os momentos não forem tão grandiosos como os mais recentes, é justo que não se faça dele, de novo, o patinho feio, o incompreendido. Porque Edgar não merece esse tratamento. Por ser um excelente profissional e, reconhecida e fundamentalmente, um óptimo jogador para um clube como o nosso.

P.S.: um óptimo jogador que, infelizmente, tudo leva a crer, vamos perder a custo zero no final da temporada. Isso sim, é o que verdadeiramente me preocupa. Porque até lá, o caminho – não aconteçam imponderáveis – será o do costume. Com Edgol a facturar.

Por Abel Sousa

11 Comentários:

José Silva disse...

A minha opinião sobre o Edgar também se mantém, e não é positiva.

Quanto às comparações com o Sagan, há que relembrar que o Sagan não marcou 5 ou 6 penaltis como o Edgar!

Mas pronto, nestes casos, em que tenho má opinião dos jogadores, eu gosto sempre de me enganar. E espero que que ele marque muitos golos.

Espero que esta época não seja como a anterior, que passou rapidamente da fartura à seca.

se 10 ou 11 são poucos?
São!
Mas neste caso, a culpa nem é tanto do Edgar ou de qualquer outro que jogue no lugar dele. Uma vez que temos assistido a um futebol muito pouco produtivo em criação de oportunidades de golo.

quanto aos Mercedes e BMW... O nosso campeonato também não é propriamente a Formula 1 onde é preciso grande máquina. É mais uma corrida de carrinhos de rolamentos. E o facto de que ganha quase sempre o mesmo, para não falar no triste futebol que vai por esses estádios VAZIOS, é mais que prova disso.

23/9/11 00:56
vitoriasempre disse...

a direcção que trata já dos respectivos contratos do jogadores em final de contrato e dos que falta um ano, se nao daqui a 1,2 anos temos de contratar de novo para ai 20gajos novos

23/9/11 02:14
Vsc1922 disse...

Gostei do que li e gostava de mencionar que partilho da mesma opinião, gosto do Edgar e este ano está a impressionar-me pois tem cumprido muito bem com o seu dever que é marcar golos. O único jogo que vimos o Edgar a desperdiçar algumas oportunidades foi no jogo com o Nacional mas também nos premiou com 2 golos, nos restantes jogos agarrou bem as oportunidades que teve. Não vou mentir, eu próprio já lhe chamei nomes mais do que uma vez no ano passado quando o via a desperdiçar grandes oportunidades de golo, mas temos que dar margem de erro aos jogadores. E convém não colocar demasiada pressão no Edgar porque ele é de facto o único ponta de lança que temos, ou eu muito me engano ou o Soudani mal vai calçar. Estou bastante curioso por ver o Urreta a jogar pelo Vitória e a servir o Edgar, mas parece que ainda vamos ter que esperar um bom tempinho.

Domingo é para ir buscar os três pontos á Madeira e o Edgar vai-nos presentear com mais golos.

23/9/11 05:31
cristiano disse...

Alguns (muitos no ano passado) gostam de queimar quem é bom. O rapaz é um grande avançado e incentivado faz muitos golos, mas como é praxe dos adeptos ter alguém com quem implicar. Só que temos um jogador que parece uma bailarina que só faz asneiradas mas a esse ninguém assobia ou implica? Porquê? Com jogadores como o targino nunca sairemos da mediacridade...

23/9/11 11:39
Afonso disse...

O mal dos jogadores é serem constantemente comparados.
Tenho para comigo que todos os jogadores são "bons", uns melhores que outros, mas o que faz a diferença é quem os conduz.
Um treinador mais que ver as qualidades dos jogadores, tem de ter uma real ideia das suas limitações e depois dentro do seu grupo ver quem melhor as consegue compensar.
Tivemos em Portugal o "Rei dos Pinheiros" chamado Jardel, era limitado, não fintava um esteio, não era rapido, mas marcava que se fartava, pois os treinadores que o comandavam sabiam da sua limitação e era compensado por excelentes jogadores que colocavam a bola no local exacto em que Jardel era mortifero e com isso o "Rei dos Pinheiros" foi Bota de Ouro, Bola de Prata, etc, etc.

Edgar já comprovou que a+esar de não ser um génio, é mais que suficiente para uma equipa como o Vitória, infelizmente os seus colegas de trabalho é que ainda não perceberam quais as suas proprias limitações e o treinador ainda está a conhecer o plantel.
Porque a média de golos de Edgar neste inicio de epoca está ao nivel dos melhores e sem penaltis.

23/9/11 11:51
Paulo César disse...

Subscrevo por completo. E registo com satisfação que alguns ilustres comentadores da blogosfera têm mudado de opinião em relação ao jogador. Mas há quem continue a negar as evidências, e faça a análise ao jogador com base na maneira desengonçada como corre.

23/9/11 17:25
Adão disse...

Bom avançado esforçado e acima da média técnicamente.
Claro que não falta quem não goste e assobie ... até o Alan era assobiado e era e é o craque todos sabemos.

23/9/11 17:34
José Silva disse...

Bom tecnicamente ? LOL

Se ele marcar mais de 10 golos na Liga (sem contar com os penaltis), eu pago uma grade de cerveja no próximo jantar do Vimaranes.


Sinceramente espero pagar, mas duvido.

23/9/11 18:24
Henrique Barros disse...

Elogiar um jogador quando ele está simplesmente no melhor momento de forma desde que está no Vitória é fácil!
Gostava de ter visto este elogio há uns meses atrás...
Compará-lo a Saganowski é um erro.

No entanto, enquanto vitoriano só desejo que ele seja o melhor marcador da Liga. E os últimos jogos dele merecem de facto elogios.

Vitória sempre.

23/9/11 22:53
Henrique Barros disse...

Gostava de ter visto este elogio há uns meses atrás...

Agora que o Edgol está no seu melhor momento desde que chegou ao Vitória é fácil elogiá-lo.

Para mim, ainda me deixa muito a desejar, se bem que ficaria felicíssimo se ele fosse o melhor marcador da Liga.
E compará-lo com o Saganowski é, no mínimo, infeliz. Quando o Sagan cá estava, ele puxava quase sozinho a equipa atrás de si: era um autêntico guerreiro e matador! Que saudades.

23/9/11 22:57
vitoriasempre disse...

tecnicamente é fraquinho temos de ser sinceros

23/9/11 23:49