quinta-feira, outubro 06, 2011

Da SAD


A ideia de criação de uma Sociedade Anónima Desportiva (SAD) para gerir o futebol profissional do Vitória, que foi avançada pelo presidente da Assembleia-Geral do clube no último aniversário, convocou os vitorianos para uma discussão que é útil, mas expemporânea. São dois os motivos essenciais que me levam a afirmar que este não o momento para termos este debate, ainda que isso não me impeça de ter algumas ideias sobre o assunto.

O primeiro ponto – para o qual ainda ninguém olhou convenientemente – é que a inclusão do tema na ordem do dia vitoriana é uma estratégia que favorece a actual direcção. Com o clima de contestação crescente , introduzir um tema tão quente como este tem o condão de desviar a atenção do essencial. E o essencial é que o Vitória é mal gerido, não consegue acertar as suas contas (por muito que continue a vender activos), e é incapaz de ter uma equipa competitiva que dê prazer ir ver jogar todas as semanas. Além disso, estamos perigosamente mal classificados. Pelo que não faltam é motivos mais prementes com que nos devemos preocupar que não este.

Além disso, com uma SAD, esta equipa directiva manteria o mesmo nível de incompetência. O Vitória enfrentaria os mesmos problemas. Com a agravante de que estas pessoas estariam a ser pagas para prestar este péssimo serviço ao clube. Resolveria alguma coisa a profissionalização? Creio que não.

O segundo aspecto que torna extemporânea esta discussão é o momento económico do país e do mundo. João Cardoso e Luciano Baltar não devem ler os jornais nem ver os noticiário televisivos. Se o fizessem percebiam que o mundo está me mergulhado numa crise sem precedentes, fazendo com os investimentos sejam, mais do que nunca, muito bem ponderados. Alguém acredita que o pouco capital que resta nas mãos dos nossos empresários seja investido no futebol e não em produtos de rentabilidade assegurada? Creio que não.

Quando as SAD de clubes de média dimensão foram criadas, as Câmaras Municipais entraram nos seus capitais. Nenhuma troika aceitaria hoje que o escasso dinheiro do Estado fosse desviado para bens supérfulos. Assim sendo, perde sentido esta discussão. Pelo menos neste momento.

Porque me parece que os princípios do debate fazem, de facto, sentido, ainda que num momento diferente. E quanto a isso tenho mais dúvidas do que certezas. É certo que a solução para elevar o Vitória a um outro patamar de credibilidade, competência e competitividade passa pela profissionalização da sua gestão. Mas há outros modelos para fazê-lo que não passam única e exclusiviamente pela criação de uma SAD.

Recordo apenas um exemplo: aquela que é hoje considerada a melhor equipa de futebol do Mundo, o FC Barcelona, não alinhou na euforia das SAD quando esta varreu Espanha. Manteve-se fiel à organização como clube e ao invés disso criou uma Fundação com o seu nome. Este pode ser, quanto a mim, um caminho bem mais interessante, tanto mais que Vitória e Barcelona, à parte a dimensão, partilham algumas idiossincrasias que merecem ser relevadas neste debate.

post scriptum – A notícia de que um grupo de vitorianos está a recolher assinaturas para distituir a direcção não me alegra particularmente. São conhecidas as minhas críticas à actual equipa directiva, mas enquanto não tivermos uma alternativa credível pela frente, de nada nos vale encurtar o mandato para o qual esta foi legitimamente eleita.

Por Samuel Silva

6 Comentários:

Afonso disse...

...esta equipa directiva manteria o mesmo nível de incompetência. O Vitória enfrentaria os mesmos problemas...

...São conhecidas as minhas críticas à actual equipa directiva, mas enquanto não tivermos uma alternativa credível pela frente...

Sem querer elaborar uma critica ao pensamento do Sr.Samuel, não concebo um Vitória em que é preferivél a incompetecia por falta do "credivél" que nunca mais aparece, em vez de dar novamente Voz e Alternativa de Escolha aos Socios.

As alternativas estão sempre sujeitas á escolha, tal como a propria destituição, que apesar de ser convocada, pode em Assembleia ser reprovada, a não ser que a propria Direcção ache que já não tem espaço de manobra e se demita.
Julgo que este precedente de convocação para esta AG, irá tambem abrir os olhos dos futuros Presidentes que saberão que há gente que não se conforma com tudo o que o clube e associados têm sentido.
São os socios que têm de ser os principais fiscalizadores dos Orgãos Sociais e não o contrario.

6/10/11 11:07
luis cirilo disse...

Estou de acordo com a perspectiva do Samuel.
Embora entenda que os investidores para uma SAD não teriam que ser ,necessáriamente, portugueses e daó o ter ainda uma posição que não é definitiva quanto ao assunto.
Duas notas:
Partilho com o Samuel o entusiasmo pelo Barcelona mas é justo recordar
que o Real Madrid (e o Atlético de Bilbau outro clube de que sou admirador)também não é SAD e tem o sucesso que se conhece.
Nota final para recordar que no programa da Lista A, concorrente ás ultimas eleições no clube, também já lá vinha a ideia da Fundação Vitória.
Que seria à imagem, e à escala claro, da fundação FCB.

6/10/11 11:09
Vimaranes disse...

Também me parece, tal como o Samuel aqui escreve, que a constituição de um SAD nos moldes que porventura mais interessam aos associados, estaria condenada ao fracasso, nesta altura. Creio que é essencialmente que o Vitória adopte uma estrutura bem mais profissional, aliás como sempre defendi, mas isso não implica que a solução passe apenas pela constituição de uma SAD, muito longe disso. Mas nesta altura, o importante é arrumar a casa, profissionalizar o Vitória e depois percebermos se o clube necessitará de se converter a uma sociedade anónima desportiva.

6/10/11 15:39
Romano disse...

Para criar uma Fundação não é preciso bastante poder económico?

6/10/11 18:00
Samuel Silva disse...

Romano,

tanto quanto sei, são necessário 5 milhões, que podem ser dinheiro ou património. A avaliação dos terrenos da unidade e do próprio estádio cobria esta necessidade, creio eu.

6/10/11 19:20
Romano disse...

Mas os terrenos da unidade não estão já penhorados? E como se faz uma avaliação do Estadio? Quem é a Instituição Financeira que queira como garantia o Estadio?

6/10/11 21:21