terça-feira, fevereiro 07, 2012

Eleições a 31 de Março

Será no último dia do mês de Março, em plena Primavera, naquilo que se espera que seja também o início da Primavera vitoriana, que os associados serão chamados a escolher que se seguirá nos destinos do Vitória. Isso mesmo foi comunicado, esta tarde, pelo presidente da mesa da Assembleia-Geral, João Cardoso. Os candidatos terão agora, até ao dia 1 de Março, para apresentar as listas a sufrágio. Na mesma declaração, João Cardoso anunciou que tinha em mãos uma outra petição para a convocação de uma assembleia-geral extraordinária e que preenchia todos os requisitos, o que acabou por forçar ainda mais a demissão de Emílio Macedo. O presidente da mesa da assembleia-geral aproveitou ainda para criticar o comunicado do Conselho Fiscal, conhecido na noite de ontem.

2 Comentários:

Insane_Stº.Tirso disse...

Então o nosso primeiro candidato caiu a primeira tentativa??? Não tem tempo?? Tava Difícil de ver que mais cedo ou mais tarde ia acontecer isto?? A situação é que é demasiado complicada..Protagonismos...


Luís Freitas fora da corrida eleitoral

No dia em que João Cardoso apontou o dia 31 de Março para a realização do acto eleitoral no Vitória de Guimarães, Luís Freitas, o primeiro candidato assumido, abandonou a corrida. Diz não ter tempo para num prazo tão curto criar um projecto financeiro capaz de devolver o clube à glória. "Aconteceram muitas coisas num espaço de dois dias, desde a demissão dos órgãos sociais à marcação de eleições antecipadas. E isso alterou a minha candidatura. Estava dependente de uma reunião com um grupo de empresários, a ter lugar na segunda-feira, mas, a pouco mais de um mês para as eleições, não estou em condições de assumir a minha candidatura. Não se compreende a decisão de marcar eleições para 31 de Março", referiu a O JOGO.

Luís Freitas considera que, nesta altura, gerir o Vitória de Guimarães requer um projecto forte. "O clube tem uma dívida enorme e não se pode avançar de ânimo leve para a presidência. Tenho um projecto ambicioso, capaz de fazer com que o Vitória lute pelo título de campeão nacional, mas nesta altura não tenho condições para assumir a candidatura. O prazo é curto. As eleições deviam ser em Maio. Se se mantiver este cenário, estou fora", disse.

8/2/12 08:25
Ricardo disse...

Tempos de Alegria? Angustia? Revolta?

Sim, todos estes "condimentos" misturados, servem para ilustrar a situação a que nos levaram e a que chegou o clube do nosso coração. Empurrado por gente mal intencionada e uma gestão deveras danosa, onde não se olhou a meios nem a fins para lucrarem os seus próprios bolsos. Tudo isto, ao leme de um clube Enorme, com uma História ainda maior e com uns adeptos (se é que é possível, para bem ou para o mal) ainda maiores! Perante estas deficiências organizacionais e directivas que assolaram esta Instituição durante estes 5 anos e que se foram deteriorando a cada dia que passava. Chegou ao fim / inicio?!?! de uma "era" que irá perdurar por muito tempo no nosso clube e na nossa consciência... Todos os dias que passam sem soluções á vista, nem estratégias, nem planos para sanear de uma vez (ou aos poucos) a situação financeira do clube, será um dia perdido e não iremos ter uma saída fácil deste imbróglio onde nos meteram... Compreensão, pede-se com urgência aos associados e a todas as pessoas envolvidas e que querem ver o Vitória sair (mais uma vez) de uma situação completamente indesejável. Sabemos que já existem candidatos que são do conhecimento geral de todos, mas no que respeita a projectos, planos e estratégias dos mesmos, ainda não vi nada. Isso também urge a cada dia que passa. pois dentro de dias estará gente nova no clube e não poderão chegar lá sem soluções minimamente viáveis e fundamentais para o bem estar do clube que neste momento crucial necessita e muito... Peço a todos os intervenientes nos próximos actos eleitorais, que tenham os pés bem assentes no chão, fazerem-se acompanhar de gente que seja, sinta e viva Vitória todos os dias e acima de tudo que sejam verdadeiros e realistas no que respeita ao dia a dia do clube. Que seja uma estrutura muito mais forte e mais fechada no que diz respeito á imprensa desportiva e a tudo o que a rodeia. Que tenham a consciência de que o Vitoria pode crescer mais e ser muito maior do que o é! Tendo estes argumentos, nas suas mãos, os próximos eleitos terão o meu apoio, que digo, não é fácil de o ter. Muito mais quando se aprendeu, viveu, sentiu e presenteou outro Vitória de outros tempos diariamente mais com o coração do que a razão. Mas neste momento é preciso ser racional e acima de tudo profissional! Esperemos todos por soluções reais, sérias e confortáveis para saberem lidar com a situação económico-financeira actual do clube, aliando a negativa conjuntura que se vive na europa e que será determinante para o futuro de alguns clubes nas suas vidas. Acredito que teremos gente capaz de reerguer o Vitoria custe o que custar. Chegou a altura de deixarmos de ser únicos, bairristas e amantes de um clube, mas sim a altura onde estes sentimentos conjugados com uma compreensão, racionalização dos nossos actos, um querer enorme e uma paixão que não poderá pensar somente em resultados a curto prazo, aí teremos o que precisamos, UNIÃO em prol de um clube de uma cidade e de uma eterna paixão com o nome de Vitoria Sport Club!! Assim o meu Vitória chegará lá!! PS: uma nota final a Joao Cardoso, que agora quer atirar areia para os os olhos dos sócios culpando o Conselho Fiscal, note-se que o seu cargo que tem que ser Neutro e Imparcial sempre teve ao lado de EMS e nunca quis eleições! Mal esse senhor sabe o que é ser Vitoriano, enfim... Jose Ricardo Pliteiro Silva. Socio nº 3707

8/2/12 09:49