segunda-feira, abril 09, 2012

Voz do Leitor

                                                                 
Recebemos o pedido de publicação do artigo que segue por parte do leitor e ex-dirigente vitoriano, Dinis Monteiro:


Acerto de Contas

Opinião de: Dinis Monteiro

 
Talvez porque gostaram do meu artigo, ou talvez porque o escrevi no momento certo, ou talvez ainda e quero acreditar que foi isso, tenha sido pelo Vitorianismo que continham as minhas palavras, porque esse sentimento "VITORIANISMO" sente-se e percebe-se quando falamos; expressamos; ou até discutimos a vida do nosso VITÓRIA.

O que quer que tenha sido, levou muitos associados a apoiarem o meu artigo sobre as passadas eleições e por consequência a minha ideia. Sinto-me feliz porque sem qualquer dúvida a maior riqueza que um clube pode ter são os seus SÓCIOS e mais rico ainda é o clube quando esses sócios têm uma fé clubista tão grande como sempre o têm demonstrado os VITORIANOS.

Esta introdução fi-la porque esses mesmos vitorianos que comigo vivem o dia a dia do Vitória e que sem dúvida o sentem em cada momento, têm me ligado e pedido, que de novo faça um alerta sobre os acontecimentos mais recentes da vida do nosso clube. Especificamente sobre as possíveis saídas de alguns, jovens promessa, criados nas nossas escolas, e principalmente pelos motivos ou razões que segundo a imprensa desportiva tem motivado, as referidas saídas.
Ora começo por analisar a noticia que anuncia que essas saídas servirão para regularizar um acerto de contas e perdoem-me os envolvidos se assim designo esse possível negócio, "acerto de contas", que teve por base a possível ida do Targino para o Benfica. Ora segundo a imprensa noticia e quanto a isso fica aqui o meu registro de que nem sempre toda a notícia é completamente verdade, mas e porque, nem a Direção cessante nem ninguém ligado ao Vitória, fez qualquer reparo ou desmentido, vou considerar que possa ser verdade e por isso mesmo dar a minha opinião. Aliás alguma verdade haverá nos factos noticiados ,uma vez que o futuro vice para a área desportiva Luís Cirilo vem indignado clamar que a ser verdade, "é um assalto", palavras do próprio.

Ora sem qualquer dúvida que terei de manifestar a maior admiração e surpresa pelo facto de  a Direção cessante estar agora preocupada em pagar qualquer dívida que possa ter com o Benfica! Porque diabo não o fez antes? E quer pagar com jogadores que são futuras promessas, ou até melhor dizendo, alguns já futuras certezas! Que são provavelmente o único ativo que temos! Mas afinal qual a obrigação primeira dos que têm dirigido o clube? Não são os interesses do Vitória? Esses jogadores que têm sido referidos e que alguém que usar como moeda de troca, são, repito, uma parte importante do nosso pequeno ativo. Pensemos que o Vitória não está neste momento em condições de investir e portanto é o momento de apostar nos jogadores vindos da formação. E se os temos bons, porquê OFERECÊ-LOS . Para a seguir comprar outros que nem sequer conhecemos bem?

Concerteza que não vamos negar a dívida ao Benfica, e com certeza que vamos honrar os nossos compromissos. Mas porque há de o Benfica ser um credor previlegiado. Então não é verdade que o Vitória apresentou um PEC (Procedimento Extrajudicial de Conciliação) E se assim é porque não foi o Benfica incluído no lote dos credores e receber da mesma forma que os outros vão receber. Porquê mordomias? Ou não são mordomias e são calores de paixão?
Mas para além da parte sentimental fica ainda a parte legal de tal ato (a ser verdade). É a questão da legitimidade de uma direção demissionária o poder praticar . Segundo alguns juristas ( não sou jurista), aos olhos da lei geral, uma direção demissionária só pode praticar atos de gestão corrente. Como tal está fora de tal âmbito a compra ou venda de ativos.
Termino este artigo com um pedido e ainda uma sugestão:

Peço à direção que vai governar o nosso clube nos próximos anos que não deixe passar situações destas e que tudo faça para as impedir.
Como sugestão peço ao  Vice  Luís Cirilo que não entre em guerra  com os sócios. Sejam eles a favor ou contra. È um direito que têm. Com certeza que haverá momentos de alegria e outros de tristeza e com certeza que nuns como noutros os sócios expressar-se-ão e como dirigente vai ter de saber e aprender a viver com isso. Portanto o melhor é começar a aprender desde já. A partir do momento em que foi eleito e se tornou dirigente tem de estar preparado para aceitar até os piores comentários, desde que evidentemente nenhum deles fira a sua dignidade.

Viva o Vitória
Dinis Monteiro

6 Comentários:

miguel silva disse...

Se compraram o Targino é dar-lhes o Targino. Então compram um jogador, pagam-no, e agora dizem que não querem este e querem quem bem lhes apetece??? Que acordos são estes? É um bocado ridícula esta história... eu acho que foi 'A Bola' que inventou a notícia, como que a sugerir ao Sport Lisboa que o faça. Já não é a primeira vez.

9/4/12 23:08
Ricardo disse...

A história sendo verdadeira ou não, existem pessoas nesta nova direcção capazes de lidar com estes assuntos e sobretudo gerir todos os problemas existentes do clube em prol do Vitoria e nada mais. Agora, ninguém sabe é o que está acordado, assinado, que protocolos existem e demais dossiers por investigar e outras lacunas que daí virão desta anterior direcção?!?! que o nosso clube supostamente teve. Agora antes de mais, penso que é tempo de União, Força e muita vontade de colocar o Vitória no seu caminho de sempre e no seu devido lugar! E para isso temos que estar unidos, juntos e se, guerras internas, pois acreditando nas pessoas que estão ao leme para servir bem o clube, é um passo muito importante para a estabilização mais que necessária do nosso amor que é o VSC! Por isso, agora estou com esta direcção pois são eles que devemos defender pois esses mesmos (tenhoa certeza) que irão defender o bom nome do Vitória mais que nunca! Unidos ninguém nos vai parar! Sempre Vitória!

10/4/12 11:19
Paulo César disse...

Ainda esperamos todos por mais desenvolvimentos deste caso, na esperança que não seja bem assim como tem vindo a ser noticiado. é surreal demais para ser verdade.

Sr. Dinis Monteiro, como sócio é com agrado que registo a sua tomada de posição vigilante e responsável. Neste momento de indefinição (corremos o risco de ficar novamente sem direcção se a SAD não for aprovada em AG) é bom saber que o Vitória pode continuar a contar com alguém com a sua legitimidade, que experiência que os anos ao serviço do clube lhe conferem.

Quanto ao texto permita-me destacar a passagem onde refere que "a maior riqueza que um clube pode ter são os seus SÓCIOS e mais rico ainda é o clube quando esses sócios têm uma fé clubista tão grande como sempre o têm demonstrado os VITORIANOS." - é bom que a nova direcção esteja ciente desta verdade incontornável e que a tenha em conta na hora da apresentação do modelo SAD. Os sócios têm de continuar a ter voz activa no clube e no futebol.

Assim como é de louvar o conselho que dá ao vice presidente Dr. Luís Cirilo. O que o Vitória menos precisa neste momento é de polémicas ocas e egoístas. Muito menos precisa de dirigentes que façam dos sócios alvo de guerrilha. As pessoas às vezes tendem a esquecer-se da natureza firme dos Vitorianos. É que tão depressa os pomos no cadeirão como mais depressa ainda os derrubamos.

10/4/12 12:07
Luís Freitas disse...

Meu caro Dinis Monteiro:
Esta direcção, que hoje finalmente toma posse, jamais pode servir-se da aprovação ou não da S.A.D. para deixar os associados do Vitória Sport Clube, reféns de uma decisão. Isto é, não se pode querer impor aos associados do clube, um determinado modelo de gestão, usando como forma de pressão sobre esses mesmos associados, o abandono de funções. Uma direcção capaz, credível e competente, tem que ter um plano alternativo para a eventualidade do modelo de S.A.D. ser reprovado pelos sócios.
Sou contra a criação de uma S.A.D. no Vitória e, na altura oportuna, e em sede própria, usarei da palavra para me pronunciar sobre as razões que me levam a recusar qualquer modelo que assente na criação de uma Sociedade Anónima Desportiva no Vitória Sport Clube.
Um clube como o nosso, que é caso “sui generis” em Portugal, não pode nem deve, entregar as suas decisões, nas mãos de pessoas, que apenas investirão no clube, por questões economicistas e nunca, pela devoção que sentem pelo emblema representativo de D. Afonso Henriques.
Evidentemente que a actual direcção, deve estar preparada para ser confrontada com opiniões dissonantes. Este é um clube plural! Não está edificado em nenhuma ditadura!
VIVA O VITÓRIA SPORT CLUBE
Luís Freitas
Sócio 17176

10/4/12 13:39
Miguel Sampaio disse...

Oh Sr. Luís Freitas. Ou não se anda atento as entrevistas do Júlio Mendes ou então cada um ouve o que lhe convém. Primeiro se o Júlio Mendes ganhou nas eleições com a SAD como porta-estandarte não faz sentido agora reprovar em AG. Mas pelo que percebi dessas entrevistas ele disse que não conta que seja aprovada na 1 AG a SAD porque é um processo demorado e haverá sempre algumas dúvidas sobre como constituir a SAD e assim sendo vai demorar algum tempo para isso se concretizar. Mas se depois de varias tentativas se vir que os Sócios não aprovam a SAD por não quererem a mesma (o que não faz sentido senão não o elegiam) também não fará sentido ele continuar na direção do Vitória a dirigir um programa que não é o que ele defendeu.

Fará algum sentido reprovar a SAD (só porque se é contra por tudo e por nada) e ele continuar a governar o Vitoria com o modela que a lista B defendeu???

Penso que não.

Cumps
Abraço

10/4/12 18:08
Filipe disse...

Resta às pessoas que votaram na Lista A aparecerem em assembleia para aprovar a SAD, ou correm o sério risco de a verem reprovada...

10/4/12 19:57