sexta-feira, julho 20, 2012

100 dias de mandato

@Record

São 100 dias, mas atendendo à quantidade de assuntos pendentes encontrados, provavelmente representarão bem mais. Júlio Mendes e seus pares cumprem os primeiros 100 dias de mandato, numa primeira fase marcada pelo acordo com a segurança social e fisco e pela redução drástica do orçamento do clube.

A tarefa não era, como se previa fácil. Um clube afundado em dívidas, com vários assuntos para serem tratados "ontem" e a inscrição da equipa nas ligas profissionais dependente da sua resolução.
É verdade que estamos ainda numa fase muito prematura do mandato, mas creio que a direcção presidida por Júlio Mendes passou este primeiro teste.

A renovação com Rui Vitória, a descida do orçamento do clube para níveis mais próximos da nossa actual realidade, a concretização do PEC, obrigatório, para a inscrição da equipa e a descida acentuada da massa salarial do plantel são alguns dos pontos fortes destes primeiros tempos de mandato e que acrescidos com a construção da equipa B permitem que confiemos na reestruturação do clube e na sua viabilidade.

Obviamente que podemos concordar mais ou menos com determinadas decisões, ou pelo menos, com a forma como foram tomadas, mas creio que no essencial estes primeiros 100 dias de mandato merecem nota francamente positiva.

Provavelmente, faltará acrescentar a todas estas decisões uma tremendamente importante para o futuro do clube e que passa, necessariamente, pelo apuramento real da situação financeira do clube aquando da tomada de posse da nova direcção, com uma auditoria rigorosa às contas para se encontrar os responsáveis que atiraram o Vitória para a situação extremamente delicada que atravessa.

Espera-se que nos próximos tempos contiuemos a assistir à reorganização do clube e que o Vitória possa ultrapassar esta fase difícil. Tratando-se sempre os assuntos com total transparência e olhando de frente e com respeito para quem continua a ser a alma deste clube - os seus associados! E esse, será sempre um bem inalienável.

4 Comentários:

Amadeu disse...

Numa análise simplista e sem ter a realidade para assumir, é de facto mais fácil criticar e assumo que muitos como eu o fazemos, tal como o fazia LC quando era apenas um mero adepto...como nós.

Negativamente lembro o populismo das promessas eleitorais que agora vemos que se transformaram em inverdades...Que eu apelido de mau inicio.

Utrapassada esta questão que não é de menor importância, também não entendo como podemos dizer, NA CIRCUNSTÂNCIA EM QUE NOS ENCONTRAMOS, como raio o Orçamento aprovado está em niveis mais próximos da realidade. Pudera...não havia outra saída Carlos, mau era se não reduzisse...

E eu acho que não reduziu tanto como o necessário. Senão vejamos:12 milhões do Orçamento deste ano, comparado com os 15 M€ de EMS, sendo que este se prevê que atinja um prejuizo record de 7/8M€ e que as receitas previstas por Julio só chegam aos 10M€ se vendermos 2M€ em jogadores...

E se a isto juntarmos créditos em atraso, PEC que tem que ser cumprido...quer-me parecer que a redução não é minimamente suficiente e duvido, como surgem noticias e a previsivel ameaça de SAD, que neste capitulo (orçamental) não temos a solução para a viabilidade do clube.

Reconheço que a tarefa não era fácil, mas ainda duvido das condições financeiras atuais para apostarmos numa equipa B, que reconheço como um projeto muito aliciante e promissor...mas temos dinheiro para isso?

Quanto ao apuramento real da situação financeira, o Carlos melhor do que eu deve saber do que se fala nas ruas e que dá conta do trabalho já levado a efeito pela equipa de JM; diz-se que o dossier de denúncia está pronto há 2 meses...porque não avança?

O que lhe parece a ultima noticia? http://www.guimaraesdigital.com/index.php?a=noticias&id=49243

Faz algum sentido ou é o caminho da imposição da SAD?

20/7/12 23:24
Amadeu disse...

A concretização do PEC, foi sem duvida a melhor noticia nestes 100 dias de mandato, até porque significam a nossa sobrevivência como clube na 1ª liga.

Gostei das apostas nas equipas técnicas e dos miudos selecionados para a equipa B e dada a enormidade de problemas entendo que questões de reorganização, ajustes e definições de responsabilidades internas fiquem para segundas nupcias.

"Tratando-se sempre os assuntos com total transparência e olhando de frente e com respeito para quem continua a ser a alma deste clube - os seus associados! E esse, será sempre um bem inalienável."

20/7/12 23:44
Vimaranes disse...

Amadeu, relativamente à novidade dada por Júlio Mendes na entrevista ao OJOGO, digamos que é uma "solução" que já tinha sido veiculada na ultima AG. Confesso-me no entanto pouco entusiasta e mais do que isso pouco optimista relativamente a esta forma de tentar garantir apoio financeiro. Por duas tazoes. Primeiro porque na actual situação económica da região, serão poucos aqueles que se irão disponibilizar a emprestar dinheiro ao clube sem qualquer vantagem. Depois porque vejo com dificuldade que empresários" emprestem" dinheiro sem que isso lhe significa algum poder de decisão no clube. No fundo isto parece uma SAD sem ainda a ser, e por isso tenho algumas duvidas relativamente a esta medida, ainda que compreendenda a necessidade Extrema de se conseguir dinheiro nesta altura. Oxalá, no entanto, que esta medida tenha sucesso, como é obvio e se assim for estarei aqui para a elogiar.

21/7/12 01:29
Vimaranes disse...

Relativamente à questão Orçamental, Amadeu, tenho duvidas que com os encargos que temos do passado fosse possível apresentar uma redução ainda mais drástica do Orçamento, tendo tambem o cuidado de manter a equipa minimamente equilibrada e sem abdicar do eclectismo. Tenho a certeza que o caminho se faz caminhando e por isso a redução terá de ser gradual... Até descermos ao patamar da sustentabilidade, até para sermos capazes de cumprir com as obrigações do PEC.

21/7/12 01:36