terça-feira, outubro 16, 2012

Vilaverdense - Análise ao adversário

@Jornal "O Vilaverdense"
 
É o primeiro obstáculo do Vitória na Taça de Portugal. A ironia do destino parecia indicar que o Vitória se cruzaria com uma equipa esta temporada orientada por dois ex-jogadores do Vitória - William e Carlos Lima. Aliás, os dois ex-jogadores foram meus convidados no programa da Rádio Fundação - "Contra-Ataque" - na passada sexta-feira, onde se falou desta curiosidade do sorteio mas também do que significava para eles o regresso a Guimarães.

Contudo, a direcção vilaverdense anunciou esta segunda-feira que rescindiu contrato com a equipa técnica em virtude "dos maus resultados", isto depois da segunda derrota consecutiva da temporada no reduto do Desportivo de Chaves por 4-0. Entre hoje e amanhã provavelmente o nome do novo timoneiro será conhecido.
 
Mas foquemo-nos mais no adversário. A verdade é que mesmo falando de clubes de escalões diferentes e de realidades completamente distintas, o Vitória sabe por exemplo as dificuldades que sentiu no ano passado para derrotar o Moura. Por isso, todos os cuidados são poucos perante um adversário que nada tem a perder e que terá neste encontro no D. Afonso Henriques uma oportunidade única.

O Vilaverdense é uma equipa que vem de duas subidas de escalão consecutivas e que ainda há duas temporadas militava nos campeonatos distritais. Esta temporada renovou muito do seu plantel e chamou o ex-jogador vitoriano William para o comando técnico, numa aventura que durou poucos meses.

Do actual plantel fazem parte dois jogadores que fizeram a formação no Vitória como são os casos do extremo João Ribeiro e do central Paulo Ricardo. Quanto à equipa, apresenta jogadores rápidos nas alas, como são os casos do próprio João Ribeiro e principalmente Ribeirinho, mas é no eixo do ataque onde tem o seu jogador mais determinante neste início de temporada - Beré. O avançado brasileiro é um dos reforços desta época tendo sido recrutado ao Boavista e um dos poucos jogadores com experiência na 1ª Liga tendo já feito parte do plantel do Paços de Ferreira (os outros são o central Madior e o médio Emerson

No "miolo", o destaque vai para o brasileiro Emerson, um jogador também ele vindo do Boavista e que apresenta um futebol duro que já lhe valeu uma expulsão esta temporada; Kazeem, um nigeriano possante que foi um dos esteios da temporada passada; e Johnny um jogador brasileiro com alguma qualidade técnica.
 
Se não há dúvida que o Vitória é favorito para a partida do próximo domingo, a verdade é que todos os cuidados são poucos para que "não haja Taça". E também por isso, é previsível que Rui Vitória não apresente grandes alterações para evitar qualquer surpresa. Porque para além da motivação inerente aos clubes mais pequenos quando disputam jogos da Taça com emblemas maiores, ainda há uma mudança de treinador a acrescentar a essa motivação.

2 Comentários:

Pedro oliveira disse...

o Emerson já esteve na 1ª divisão do escalão do futebol portugues,(ex boavista,ex estrela da amadora,es beira-mar)bem como ó madyor,Ex defesa do vitoria de setubal.

17/10/12 02:11
Vimaranes disse...

É de facto verdade, obrigado pela correção. Já não me recordava. Já está alterado!

17/10/12 09:34