domingo, novembro 11, 2012

Desnorte

VITÓRIA 1-3 NACIONAL (João Ribeiro) 

@TVI

Há jogos dos quais, mesmo dormindo sobre o assunto, pouca vontade há para falar. O Vitória acabou derrotado pelo Nacional e de uma forma tão clara e ajustada que ninguém ousará discutir. E, apesar de Rui Vitória se ter queixado de 15 minutos de desnorte, a verdade é que o que mais preocupou foi a total ausência de futebol por parte do Vitória durante todo o desafio. 

Se já na primeira parte o Vitória entrou mal e foi em largos espaços inferior aos madeirenses, o que é certo é que ainda foi capaz de marcar na transformação de uma grande penalidade por João Ribeiro. Esperava-se que o golo, que ainda por cima surgiu cedo na partida, pudesse estabilizar o jogo vitoriano, partindo para uma exibição segura. Mas, nada disso aconteceu.

A equipa mostrou sempre pouca agressividade e uma dificuldade tremenda para controlar a partida, perante um Nacional que ia ameaçando a baliza de Douglas. O ataque não era capaz de produzir e criar situações de perigo e em termos defensivos o Vitória mostrava nervosismo a mais.

Manuel Machado, conhecedor das debilidades do plantel do adversário, acabou por ganhar o jogo desde o banco. Lançar Mateus e colocá-lo no corredor esquerdo para bater de frente com Alex foi meio caminho andado para uma valente cambalhota no marcador, aproveitando a água que o sector mais recuado ia metendo, como se não bastasse a da chuva.

O angolano Mateus com um golo e duas assistências foi o verdadeiro desequilibrador, perante um Vitória atropelado que não foi capaz de qualquer reacção. A lesão de Soudani ao intervalo, ou a de André que deixou o Vitória com dez jogadores na parte final do desafio, foram mais dois momentos de um jogo em que tudo correu mal.

Mesmo numa época que se sabia que iria ser difícil, nem tudo pode ser desculpado e muito menos pode significar menos exigência em jogos onde o Vitória tem obrigação de fazer mais, como diante de equipas como Nacional e no seu próprio reduto. Mas agora o importante é pensar já no próximo jogo e aprender com o que correu mal. Nem éramos os melhores do mundo até agora, nem somos os piores hoje.

3 Comentários:

vermelho vivo disse...

Na época passada, a desculpa é que a equipa não era formada por ele... a instabilidade directiva... os salários em atraso... enfim. A verdade é que fizemos uma época medíocre, nunca tivemos um fio de jogo, raramente fizemos uma exibição que se pudesse considerar satisfatória. Este ano, é porque o plantel é novo... é porque tem limitações... (no entanto estamos a falar de um plantel com douglas, defendi, n'diaye addy, el adoua, toscano, soudani, joão ribeiro, barrientos, baldé, lalkovic, ricardo, marco matias...) A verdade é que sendo parte do plantel da época passada continuamos a não apresentar fio de jogo e a não jogar patavina. Assistir aos jogos do Vitória começa a ser um ato sofrivel. Aconteceu com o Nacional como já podia ter acontecido com o estoril ou o Rio-Ave, ou até com o Moreirense a jogar com 10.
Resumindo, parece-me que Rui Vitória é tão bom treinador como eu sou entendido em construção de lagares de azeite.
E este vai ser o nosso problema para esta época(além dos outros todos de cariz financeiro, como é óbvio)

11/11/12 23:17
José Silva disse...

Principais Culpados:

Luís Cirilo e Júlio Mendes

Se não se aperceberam no ano passado da qualidade deste treinador então é porque andavam a dormir.

12/11/12 14:34
SEMPRE100%VITÓRIA disse...

Ai sr. Rui Vitória, sem ponta de lança não vamos lá!

13/11/12 12:57