quinta-feira, fevereiro 07, 2013

Com equipamento a rigor e tudo (2-3) (vídeo hino)


Cinzento do meio-campo para a frente, tão negro quanto o equipamento do meio-campo para trás. O Berço voltou a ver uma noite de pesadelo. Sem os contornos de massacre da derrota com a selecção espanhola, nem de escândalo do empate com o Chipre, mas ainda assim mau demais.

Os mais de 20 mil espectadores presentes no D. Afonso Henriques viram Portugal começar com o pé esquerdo com um golo sofrido bem a frio e com Eduardo mal na fotografia. É verdade que até ao final da primeira parte só Portugal teve bola e alguma qualidade, ainda que longe de um patamar de excelência. Ainda assim, o grande golo de Cristiano Ronaldo (o único que parecia interessado em vencer a partida) parecia poder embalar a selecção das quinas para um triunfo diante de uma selecção do Equador com qualidade mas cujo único argumento era o contra-ataque.

O pior estava para vir. A juntar à falta de intensidade tão frequente em jogos particulares de interesse duvidoso numa altura da época sobrecarregada para vários dos seleccionados, Portugal evidenciou aquilo que tem deixado patente nos últimos jogos. Falta de criatividade e de soluções no seu meio-campo ofensivo, dificuldades tremendas a jogar contra equipas que apostam no contra golpe e dificuldades de finalização. Com alguns jogadores fora de forma e outros sem grande "vontade" de jogarem em ritmo mais elevado, Portugal expôs-se ao ridículo. Apesar de ainda ter conseguido estar em vantagem, um golo na própria baliza de João Pereira e um grande golo de uma das principais referências do Equador, tudo alteraram.

Guimarães voltou a ver a sua selecção defraudar as expectativas. E o público presente merecia certamente mais. Mas voltou a ver um jogo negro da selecção que até se vestiu a preceito. De positivo fica, como sempre aliás, o momento em que "A Portuguesa" foi entoada nas bancadas do Estádio do Rei.



0 Comentários: