terça-feira, março 12, 2013

Mereceram ser felizes! (2-3)



Sim, esta equipa mereceu ser feliz. Sim, esta equipa é este ano capaz de nos orgulhar como nenhuma outra. Sim, esta equipa tem coração e tem alma como poucas. Sim, esta equipa é hoje - verdadeiramente - aquilo que como associados sempre pedimos. Sim, este é o nosso Vitória!
 
Pela terceira vez na temporada o Vitória derrotou o Setúbal e fê-lo com classe, com qualidade, com uma grande capacidade de trabalho e com aquilo que tem sido o destaque maior da equipa esta época: acreditar até ao fim.
 
Assentes num "miolo" onde cabe a capacidade de trabalho de Olímpio, o sentido táctico e de raça de André e a "arte" de Tiago gigante Rodrigues (duas assistências e um jogo enorme), o Vitória justificou plenamente chegar à vantagem por intermédio de Soudani. Aliás, a colocação do argelino com Baldé no ataque tem dado frutos e este Vitória torna-se um verdadeiro quebra-cabeças para as defesas adversárias.

Mas o Vitória não só se adiantava, como controlava na perfeição a partida, sendo sempre a equipa mais perigosa sobre o terreno de jogo, mesmo num encontro jogado sob condições climatéricas muito adversas e um relvado com zonas já muito encharcadas. Contudo, o Vitória foi sempre uma equipa muito forte no meio-campo, não só com a capacidade de neutralizar os sadinos como de criar situações de golo.

Na etapa complementar, o rumo do jogo não se alterou e o golo conseguido por El Adoua na marcação de um canto parecia ser a machadada final numa partida que o Vitória merecia estar a vencer. Por esta altura, dava a ideia que os três pontos não fugiriam.

Porém, o futebol é pródigo em momentos que são capazes de tudo alterar. Num lance em que Makukula cai na grande área sem que pareça ser tocado por Douglas, Olegário Benquerença assinalou grande penalidade e expulsou o jogador brasileiro. O recém entrado André Preto ainda evitou o golo com uma defesa fantástica, mas na sequência o Setúbal conseguiria mesmo reduzir a desvantagem.

O Vitória passava por um período difícil na partida. Remetido para o seu meio-campo, abalado com o golo sofrido e a inferioridade numérica, tentava evitar o empate. Mas num momento de muita felicidade, os da casa acabariam por chegar, de novo ao golo, cruzamento de Pedro Santos, a bola ainda a embater em Tiago Rodrigues e a trair André Preto.

Temia-se o pior... A sete minutos do final, mais a compensação, o Vitória via-se a jogar com 10 jogadores e a tentar evitar a cambalhota no marcador depois de sofrer dois golos em 5 minutos. Seria preciso uma equipa muito forte mentalmente para aguentar tamanho murro no estômago. Seria preciso uma equipa com uma alma quase transcendente para conseguir sair do Sado com um resultado positivo naquelas circunstâncias.

Mas... não tem sido esse o espelho desta equipa ao longo da temporada? Pois bem, os "miúdos" quiseram uma vez mais deixar isto bem vincado. 3 minutos para além dos 90, jogada de entendimento perfeita entre Ricardo e Baldé e o avançado a fazer o terceiro golo (e bem que o fez por merecer Baldé).

O Vitória chegava à vantagem mesmo em inferioridade numérica. No fundo, o golo de Baldé conseguia colocar justiça no marcador, num encontro em que o Vitória do Berço foi superior e mereceu inteiramente ser feliz naquele momento.

Três pontos que permitem ao Vitória "colar-se" ao Rio Ave no 5º lugar, em véspera dos vitorianos receberem o Benfica. Esta jovem equipa do Vitória continua a surpreender ou talvez apenas a mostrar aquilo que sempre foi reclamado por muitos. Este é o caminho! Sempre foi. E há aqui "miúdos" para os quais já faltam os adjectivos. Este Vitória dá-me, pelo menos a mim, um orgulho que já há muito nenhum outro dava. E assim, até a viagem de regresso se fez com um sorriso nos lábios.

Veja agora os melhores momento da partida de hoje:

 
 
 




Foto: Sítio oficial Vitória SC

0 Comentários: