quinta-feira, março 07, 2013

Segurar na B

 
Passado que está o segundo terço do campeonato, o Vitória encontra-se numa posição deveras animadora, se tivermos em linha de conta as dificuldades com que o clube se tem deparado desde o início da temporada, e que ainda se mantêm. Oitavo lugar, vinte e sete pontos conquistados e a dois do quarto lugar, posição que dá acesso a uma prova europeia. Se a isso juntarmos a possibilidade de estar presente na final da Taça de Portugal, então só podemos encarar as nove jornadas que faltam com optimismo. 
 
Estes resultados não podem ser dissociados da equipa B que, quer se queira quer não, acabou por ser o suporte de todo este sucesso. Primeiro, porque Luiz Felipe soube formatar os seus jogadores de tal forma, que se por algum motivo tivessem de ser chamados à equipa principal, o fizessem sem “receio”. Em segundo, porque Rui Vitória, mesmo que algumas vezes sem alternativa, teve a astúcia e o condão de aproveitar um trabalho de base de Luiz Felipe, para compensar as lacunas existentes na equipa principal. Paulo Oliveira, Kanu, Tiago Rodrigues, Marco Matias, Crivellaro e mais recentemente, Luís Rocha, são todos eles exemplos de um crescimento rápido proporcionado por Luíz Felipe e continuado por Rui Vitória. 
 
As necessidades obrigaram o Vitória a ser a primeira equipa nacional a assumir uma maior aposta na formação, cortando com hábitos generalizados no futebol português assentes nas contratações em massa de estrangeiros, muitas vezes de qualidade duvidosa, impigidos por empresários ávidos de lucros. Apesar desta estratégia estar a resultar, vai ser preciso daqui para frente não descurar o apoio à equipa B, correndo o risco de, se tal não acontecer, a sua continuidade na segunda liga estar em causa. 
 
Vai ser preciso, por isso, uma grande solidariedade de Rui Vitória para com Luiz Felipe dotando a formação B de atributos suficientes que lhe permitam continuar a competir nesta categoria e a servir de esteio à equipa principal. Só assim o Vitória poderá continuar a crescer e a valorizar a formação tornado-os activos de qualidade para o clube. 
 
 
Por Ricardo Lopes

1 Comentários:

Maike disse...

Era muito bom que o Vitória B se mantivesse na II Liga. Mas caso aconteça uma descida de divisão, também não é o descalabro.
Temos como exemplo o Tiago Rodrigues....que o ano passado representou o Amarante. Não foi a meia-duzia de jogos que fez pela equipa B, a moldá-lo o jogador que é hoje.

7/3/13 16:04