quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Sentimento de injustiça



Impera o sentimento de injustiça na família Vitoriana, após mais uma decisão absolutamente desigual e imerecida por parte do conselho de justiça da Federação Portuguesa de Futebol, que mais uma vez penalizou severamente o Vitória Sport Club, desta vez com um decretar de um inédito castigo de dois jogos à porta fechada.

Depois de no passado Domingo, como as várias imagens e vídeos demonstram, os sócios do Vitória terem sido insultados, e serem colocadas vidas de pessoas em risco (que apenas queriam apreciar de uma tarde de bom futebol), por parte de energúmenos que viajaram de uma localidade próxima de Guimarães, eis então mais uma prova cabal que o futebol português esta corrompido de falsidade, e de jogadas de bastidores que teimam em não desaparecer dos meandros desportivos.

Como é possível, o conselho de justiça da F.P.F, não ter chegado à conclusão, que foram os adeptos (tem um histórico muito recente que fala por si, com constantes climas de “terror” para com adeptos de outros clubes) da agremiação desportiva que defrontou o Vitória no último fim-de-semana, os “incendiários” dos incidentes que infelizmente aconteceram no Estádio do Rei!

Não se percebe, e é absolutamente vergonhoso o protecionismo que este clube merece por parte das instâncias que regem o futebol em Portugal.

Mas quem tem uma figura influente numa dessas estruturas (assiste sempre de camarote, e a fumar charutos), e se está completamente a marimbar para o que acontece fora das 4 linhas, só me cabe pronunciar isto:

1º- Que já nada me surpreende no futebol português, 2º- que estes ditos “Doutores” que se deixam corromper, tenham um dia (de preferência em breve) vergonha das decisões injustas que determinam, e que “matam” o espetáculo desportivo.
Voltando ao jogo, e relativamente às incidências do desafio, há um dado muito importante, e que deve ser debatido, que é o porquê do árbitro do jogo, ter decidido terminar a partida?

Era uma questão que gostava de ver respondida, mas não, e apenas num post da sua página da rede social Sr. Hugo Pacheco!

É que de um árbitro espera-se imparcialidade, e não uma pessoa, que após visualizar que estavam reunidas as condições para que a partida prosseguisse, decidiu pura e simplesmente dar por suspenso o encontro, isto quando nem sequer tinha caído qualquer objeto no relvado, e nenhum dos intervenientes no desafio tenha visto a sua integridade em perigo.

Não se percebe então, as tomadas de posição que o árbitro da partida tomou num curto espaço de tempo, e que mostraram um total conluio com o adversário (saíram praticamente em conjunto para os balneários).
Viriam ambos com a lição bem estudada? Que deixam uma certa suspeição no ar, isso deixam!

Com todos estes factos, não se percebem algumas declarações do Presidente Júlio Mendes, que devia e deve desde à primeira hora, de estar solidário com os sócios do Vitória (é certo que por exemplo, o retorno do lançar de cadeiras por uma franja de sócios, não foi a atitude adequada, e que deve ser evitada, para bem da instituição Vitória Sport Club, mas o Presidente terá que estar sempre do lado das suas gentes), que por causa de umas dezenas de loucos (logo que entraram no topo norte, correram desenfreadamente em direção à bancada poente, lançando cadeiras a arder, e tochas em direção aos Vitorianos), viram as suas vidas ameaçadas.

Todas estas provas, tem que ser apresentadas na tese que o Vitória vai apresentar no conselho do pleno de secção profissional da disciplina, esperando que por esta instância, a justiça seja aplicada, e o Vitória não veja o seu Estádio interdito.

Quanto a nós família Vitoriana, demonstraremos mais uma vez esta 2a feira, de forma serena, a paixão pelo símbolo que nos orgulhamos de ostentar, e mostrar à Liga, à F.P.F, e até alguma imprensa (deturpam situações de forma indecorosa), que nunca nos calarão, e que jamais deixaremos que “pisem” e façam do nosso Clube o “bode expiatório” para alguns dos muitos males que assolam o futebol nacional!

P.S. Não podia deixar de felicitar o atleta Sacha Pindrys, que se sagrou Campeão Nacional na disciplina K1,dando mais um título ao já extenso palmarés da modalidade, e desejar as maiores felicidades ao voleibol do Vitória, que apesar de todas as dificuldades porque passam, pode este Domingo em Gaia, frente ao Atlético Madalena carimbar a passagem à final da Taça de Portugal, naquela que pode ser a 5a final para o Voleibol Vitoriano, sendo que a de 2009 foi inesquecível para todos nós, ao vermos o capitão Allan erguer o caneco.
Todos juntos, o feito de erguer novamente a Taça de Portugal, ficará mais perto de ser alcançado.

Força Vitória!

Por José Lafuente

1 Comentários:

José Silva disse...

Para não dizerem que só falo mal:

Até gostei de ouvir o Julio falar, deu para esclarecer muita coisa relativa á policia. E foi bom ouvir certos nomes.

Quanto a castigar vitorianos, concordo que se castigue quem foi para além do razoavel. Se bem que compreendo muito bem a vontade de espancar aqueles fdp de Braga, compreendo mas também sei que se o fizesse então teria que sofrer as consequências.

- O presidênte do VSC não tem a obrigação de defender cegamente os adeptos/sócios do VSC, tem é que os defender quando houver motivo para isso.


isto de termos um jogo a uma segunda feira ÀS 18:15 é mais uma m... que não compreendo!

Como é que quem trabalha pode ver o jogo??? Fico f....

1/3/13 10:34