quinta-feira, dezembro 26, 2013

Um ano ímpar!



Há anos que dificilmente deixaremos de guardar na memória. Daqueles anos que mais tarde, contaremos aos mais novos com um sorriso rasgado e a arrogância própria de quem se sente realizado por ter podido viver esses momentos. 2013 foi assim.
 
A partir de agora já não vou ter de me lamentar por não ter vivido a época 86/87 como ela merecia. Agora posso recordar para todo o sempre a de 2012/13. Lembrar-me-ei para sempre daquele dia do mês de Maio. De cada relato dos golos do Vitória, de cada palavra de emoção, de cada abraço que dei.
 
Naquela tarde senti que tinha os maior braços do mundo. Porque, mesmo do alto daquela bancada, sei que consegui abraçar, cada um dos nossos heróis. Aqueles que lá em baixo tinham acabado de nos levar ao Olimpo e todos aqueles que nas bancadas ou em casa choravam de emoção. Naquele momento, senti-me capaz de abraçar todos aqueles que mereciam ter vivido aquele momento mas que, infelizmente, partiram cedo demais. Antes daquela grande conquista.
 
Como esquecer? Como não lembrar de cada um daqueles minutos? De cada uma das paragens nas estações de serviço onde paravam os nossos heróis? Como esquecer o banho de multidão no Toural? Como esquecer o dia em que fomos verdadeiramente felizes?

Como não me emocionar com estes momentos?
 


Estes heróis ficarão para sempre marcados na memória dos vitorianos. São os nossos heróis. Aqueles que saberei dizer o nome, um a um, até que a memória me traia. Aqueles a quem estarei grato para sempre.
 
Mas será injusto relembrarmos apenas estes heróis, quando o 2013 foi ímpar por outras razões. Foi o ano onde também vivi e festejei em Fafe, a conquista dos outros heróis. Daqueles que, nem sempre tão seguidos como merecem, (e também a mim me penitencio) levaram bem alto o nome do Vitória com a conquista da Taça de Portugal em Basquetebol. Daqueles que, com muitas dificuldades, chegaram à final da Taça de Portugal de Voleibol, caindo de pé, mas deixando os vitorianos orgulhosos. 
 
2013 foi também o ano de outro gigante. O melhor tenista português de todos os tempos, é vimaranense. Este foi, também o ano de João Sousa. Também com ele vimos o nome de Guimarães chegar longe. Bem longe!
 
2013 foi ano de cidade europeia de desporto. E que melhor ano poderíamos ter "escolhido" para isso? O ano em que Guimarães mostrou, como nunca antes, que é uma cidade de campeões.
 
Agora que o ano vai terminar, fica um agradecimento especial, a todos aqueles que, cansados de apenas nos colocarem a sonhar, nos ofereceram a realidade. Venha 2014! Um bom ano a todos!

1 Comentários:

luis cirilo disse...

Não posso estar mais de acordo.
E para quem, como eu, por força da idade já tinha estado noutros momentos que redundaram em grande frustração (Antas em 1976,à cabeça,na final de taça com o boavista)este ano desportivo teve um sabor extraordinário.
No futebol e no basquetebol(ambas face ao SLB), a final do voleibol, a final four do polo aquático, o triunfo ATP do João Sousa entre outros momentos extraordinários.
MAs o Jamor, onde já tinha visto o Vitória perder duas taças frente ao Porto, foi realmente algo de inesquecivel. Mas não de irrepetivel embora o primeiro triunfo seja sempre o primeiro.
dele guardo 99% de imensa felicidade e 1% de uma pequena tristeza pessoal.

26/12/13 23:46