sábado, janeiro 11, 2014

Corte de relações não foi ratificado em AG


 
Como em escrito anterior incorri num erro, aproveito esta notícia para repor a verdade dos factos. Alertado por um amigo vitoriano que colocou cópia da acta nas redes sociais, fica evidente que, de facto, não houve ratificação de corte de relações institucionais em assembleia-geral do Vitória, apesar de termos essa ideia. De facto, na AG de Julho de 2011 houve uma proposta para o efeito, mas que acabou por não ser votada. E, assim, sendo não houve ratificação por parte dos associados do clube a propósito desse corte de relações como foi sendo escrito pela imprensa e pelos associados (inclusive eu, em texto anterior). Ou seja, do ponto estrito das competências do presidente da direcção não houver qualquer "atropelo" às deliberações dos associados.
 
Por isso, e sobre este tema, mantenha apenas as outras ideias. Defendo uma relação saudável, apesar das rivalidades, entre os dois clubes, para o bem do futebol português e do futebol da região. E continuo apesar disso mesmo, a considerar estranho o timing para este reatar das relações, atendendo ao passado recente e, inclusive ao polémico assunto do preço dos bilhetes reeditado mesmo na véspera deste novo confronto. Mas, quanto à legitimidade para tal atitude, essa, a bem da verdade de facto não se coloca, atendendo àquilo que está escrito na acta da altura.

0 Comentários: