segunda-feira, setembro 15, 2014

Esta é a nossa força!



A rápida tentativa dos comentadores de ocasião dos vários programas de televisão, sem direito ao contraditório, de aproveitarem o que se passou numa das bancadas do D. Afonso Henriques para lançar as habituais críticas ao público vitoriano, não espanta ninguém. Infelizmente, e parafraseando Rui Vitória na conferência de imprensa de ontem, "há muita gente que tem inveja dos adeptos do Vitória".

A verdade é que numa altura em que os estádios por esse país fora continuam a perder adeptos, Guimarães responde com 40 mil adeptos em dois jogos em casa, neste início de temporada. Mais do que isso, respondeu ontem com uma casa com mais de 25 mil espectadores, demonstrando aquilo que é óbvio para todos aqueles que queiram ver mais do que a habitual opinião publicada.

Lamentavelmente, falar de cor nunca dá bom resultado. Embora perceba que há sempre essa tentação. A língua às vezes salta da boca sem querermos, e quando damos por nós, já estamos num ou noutro programa televisivo falando do que não se viu, do que não se percebeu e utilizando o habitual tom jocoso, não resistindo à generalização básica. Confesso que estereótipos e generalizações sempre me fizeram alguma confusão, ainda para mais quando ouvidas de quem tem imensos telhados de vidro. 

O que esteve na génese da confusão de ontem deve ser averiguado, evidentemente, mas aquilo que salta uma vez mais à vista, é a acção absolutamente desproporcionada dos agentes da polícia de intervenção. Tão lamentável, como habitual. E a verdade é que os abusos policiais têm de ter um fim, sob pena de continuarem a ser o primeiro foco de violência nos estádios. E mais do que isso esconderem aquilo que deve ser o destaque principal, o apoio de uma massa associativa que, ainda ontem, voltou a dar provas de comunhão com a sua equipa!

E por isso, esteve bem Júlio Mendes na resposta pronta na noite de ontem, e esteve ainda melhor Rui Vitória quando na conferência de imprensa não deixou nada por dizer. O Vitória não pode permitir, que de modo sistemático, os "paineleiros" dos costume falem do que não viram e do que não sabem, sem direito a contraditório. Do mesmo modo que se os clubes têm obrigação de lutar pelo fim da violência nos estádios, devem tudo fazer para denunciar os abusos da polícia. 

Nota: Já agora, gostaria de elogiar a evolução de Paulo Baptista. Ontem, e bem, interrompeu a partida por haver adeptos no relvado. Há um ano, em situação idêntica num jogo também no Minho, continuou o jogo como se nada se passasse. Aprendeu. E isso é de registar.

Pode ainda ver toda a galeria de fotos no facebook do VIMARANES em https://www.facebook.com/ovimaranes.blog.

0 Comentários: