terça-feira, maio 12, 2015

Sabor amargo (2-2)



O empate não serviu a nenhuma das equipas. Ainda assim, objectivamente, permite ao Vitória garantir matematicamente pelo menos o 5º lugar do campeonato mas impede, no entanto, que os vitorianos se aproximem como poderia do 4º posto.

Num jogo onde as duas equipas mostraram como não se deve defender, o Vitória entrou mal, apático, e viu Marco Matias marcar logo no minuto inaugural. Ainda assim, ainda na primeira parte, duas assistências de Sami, a segunda das quais depois de um excelente trabalho sobre Marçal, permitiram ao Vitória operar a reviravolta no marcador com golos de Ricardo Valente e Bernard.

Pedia-se, a partir dessa altura, que o Vitória fosse uma equipa mais consistente defensivamente e que aproveitasse o adiantamento do Nacional para desferir o golpe fatal. Mas nada disso sucedeu. Na segunda parte, a equipa recuou em demasia, e a saída de Bernard sem que entrasse para o miolo ninguém capaz de segurar a bola, deixou o Vitória curto no terreno e à mercê do Nacional. 

A saída do ganês e o adiantamento de André, que já noutros jogos não havia resultado, voltou a ter igual desfecho. O Vitória encolheu-se e, atrás, cometeu mais um erro defensivo grave que resultou em mais um golo do Nacional. De novo, Marco Matias, o ex-Vitória a marcar e a restabelecer a igualdades.

Só nos descontos, o Vitória de forma sôfrega pareceu ser capaz de um assalto à baliza de Gottardi mas já não foi a tempo. O empate tem sabor amargo, porque não permite ao Vitória encostar-se ao seu rival. Ainda assim, com seis pontos para jogar, é ainda possível encurtar as distâncias, se o Vitória for capaz de ser feliz nos próximos dois encontros.

Domingo, há mais. Pelas 18 horas, diante do Benfica, num encontro em que a equipa vitoriana não poderá contar com Bernard e Cafú que viram amarelo na Choupana.


Foto: Maisfutebol

0 Comentários: